sábado, 17 de dezembro de 2011

A PESSOA E OBRA DE CRISTO - PR. CLAUDIO MORANDI

A PESSOA E OBRA DE CRISTO Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo. Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas. Hebreus 1:1-3. A Epístola aos Hebreus compara Jesus ao Antigo Testamento e apresentá-O como o cumprimento das suas profecias messiânicas. O tema que percorre a carta do principio ao fim é: “Jesus Cristo é superior a Moisés, a Arão, ao sistema de sacerdócio Levítico; proporciona um melhor descanso, uma superior aliança, uma melhor certeza. Jesus Cristo é superior a tudo!”. Desde tempos imemoriais, Deus tem buscado seu povo e comunicado com ele. Embora não se limitasse em seus métodos, preferiu, na maioria das vezes, comunicar-se com o povo por meio dos profetas. Em nossos dias, a palavra profeta evoca um quadro mental de um velho vestido de roupas um tanto surradas, com longa barba branca. No passado, por varias vezes, e de modos diferentes, Deus havia falado ao seu povo por intermédio de profetas e de anjos; mas “nestes últimos dias” falou-nos por intermédio e na Pessoa do Seu próprio Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. Mateus 17:5 Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi. Irmãos Jesus Cristo é a palavra final de Deus a nós. Os anjos e os profetas do passado revelaram a mensagem de Deus a certos indivíduos ou povos. Jesus Cristo, porém, revelou-nos Deus, de uma vez por todas. Jesus Cristo é o “resplendor da glória divina, e a expressão exata do Seu Ser”. Quando olhamos para Jesus, vemos a Deus face a face. Tudo o que Deus é pode ser encontrado em Cristo. Jesus é a perfeita, completa e exata representação da divindade. Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. Colossenses 1:15. Jesus é a definitiva revelação do próprio Deus à humanidade. Por isso, Jesus é superior aos anjos. Jesus é tão superior aos anjos quanto seu nome, Filho de Deus, é mais ilustre do que os deles, que são espíritos ministradores. Então, qual deveria ser nossa resposta a Ele? Se os homens se curvaram em obediência a anjos, quanto mais devemos nós atentar para o verdadeiro Filho de Deus e segui-lO! João 12:26. Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, o Pai o honrará. Um dos fatos preciosos na carta aos Hebreus é que o nosso Senhor Jesus se tornou Homem para resolver o problema da humanidade. Isso fala da sua encarnação. Desde o principio da Criação, Deus ordenou que o homem se assentasse no ápice de sua Criação sobre a Terra, mas a entrada do pecado no mundo alterou tudo isso. Era o propósito do Pai que todas as coisas gravitassem em torno do Seu amado Filho, mas por causa do pecado, o Seu propósito ainda não se cumpriu, ou seja, todas as coisas ainda não estão sujeitas a Cristo. Todas as coisas sujeitaste debaixo dos seus pés. Ora, desde que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou fora do seu domínio. Agora, porém, ainda não vemos todas as coisas a ele sujeitas. Hebreus 2:8. Agora nós podemos entender o motivo da Sua encarnação. O versículo nove vai nos explicar com clareza. Jesus se tornou parte da ordem criada. Seu objetivo primário não era realizar milagres e praticar boas ações, embora sejam um subproduto de Sua vida perfeita. Seu propósito era morrer na cruz. E todos nós que já passamos pela obra da cruz, ou seja, que já fomos crucificados, mortos e ressuscitamos com Ele para viver vida nova, conhecemos este fato como a morte vicária em nosso beneficio. Hebreus 2:9 Vemos, todavia, aquele que, por um pouco, tendo sido feito menor que os anjos, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem. Jesus provou a morte por cada um de nós, para que nós jamais viéssemos a provar do seu ferrão. Na sua morte, Ele destruiu aquele que tinha o poder da morte, isto é, o diabo. Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo. Hebreus 2:14. Por sua morte Jesus Cristo destruiu as obras do diabo. Quando Cristo entregou a vida em pagamento por nossos pecados naquele dia fatídico no Gólgota, quebrou o grilhão da morte que satanás tinha sobre a raça humana. O nosso inimigo está derrotado. Todos nós sabemos que morte é fruto do pecado. Morte é separação, e o pecado separa o homem de Deus. Todo homem tem experimentado isto no sentido espiritual em que está separado de Deus. Morto espiritualmente, ele é oco e vazio por dentro. Seus dias estão contados, e ele sabe que a morte física é apenas uma questão de tempo. Ninguém escapa à “ceifadora implacável”. Todos nós vamos morrer um dia, mas a morte não tem mais poder sobre a vida de um regenerado. A morte vai levar para o inferno tudo aquilo que tem e é pecado, mas nós fomos libertos do pecado em Cristo. Jesus nos libertou desta escravidão! Hebreus 2:15-16 E livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida. Pois ele, evidentemente, não socorre anjos, mas socorre a descendência de Abraão. É tão maravilhoso entender e crer que em sua morte propiciatória, Cristo nos reconciliou-nos com Deus. Isso é salvação em três palavras fáceis de entender. Quando Jesus provou a morte por todo homem, Ele destruiu o poder do diabo, livrou-nos da escravidão do pavor da morte, e fez propiciação por nossos pecados. Isso tudo diz respeito ao ministério passado de Cristo, realizado enquanto Ele esteve na Terra. Temos, também, um breve relancear de olhos em Seu ministério presente, que está sendo conduzido no céu. Leiamos Hebreus 2:18 Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados. Segundo a Bíblia, Jesus suportou a agonia de ser severamente tentado em todas as coisas, e por isso Ele pode socorrer-nos na luta com a tentação. Jesus usou a analogia do jugo para descrever Sua disposição de socorrer-nos, porque o seu jugo é suave, e o seu fardo é leve. Neste jugo há somente lugar para dois e Ele já colocou a Sua cabeça, agora cabe a cada um de nós colocar a nossa. Neste jugo de Jesus, ao levarmos aos ombros a nossa carga, o nosso fardo Ele se coloca ao nosso lado e nos ajuda a carregá-la. Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação. Salmos 68:19. Na carta aos Hebreus vemos que a vida cristã é uma carreira, ou uma corrida que já sabemos quem será o vencedor, Ele é o nosso Senhor Jesus Cristo, o nosso vencedor. Mas nós estamos nEle, por isso somos mais que vencedores. Nesta corrida encontraremos muitos obstáculos. Estes obstáculos são as nossas tribulações e sofrimentos que teremos de enfrentar, mas quando olhamos para Jesus firmemente, podemos ficar tranqüilos, pois Ele é o nosso treinador. Jesus nos dá confiança e renovam as nossas forças, por isso sempre temos bom animo. Irmãos, nós estamos correndo a corrida da vida. Os nossos torcedores são os homens e as mulheres do capitulo 11 de Hebreus. O nosso técnico é o Senhor Jesus Cristo. Ele também disputou a corrida que nós temos pela frente e agora se ergue, gritando palavras de estimulo, advertindo-nos dos perigos e riscos, e dando vivas aos nossos vibrantes esforços. Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Hebreus 12:1-2. Amém.