quinta-feira, 11 de agosto de 2011

NA BALANÇA E NO PRUMO - PR HUMBERTO X RODRIGUES.





Pesado foste na balança e achado em falta. Aquilo que é torto não se pode endireitar; e o que falta não se pode calcular. Daniel 5:27, Ecl.1:15.

É de fundamental importância para todos os descendentes de Adão, o conhecimento desta grande verdade: o homem tem sido pesado na balança e achado em falta; o prumo foi-lhe aplicado e ele foi achado torto.

Isto significa que reformar o homem é algo absolutamente impossível. Por isso, Deus fechou a história do homem, dizendo: Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá. Ezequiel 18:4. Assim sendo, não há outra solução para o homem a não ser a morte.

O primeiro grande fato que o Espírito Santo insiste em imprimir na consciência humana é este: que Deus pronunciou o Seu solene veredicto sobre a natureza humana e que esse veredicto seja aceito por cada um de nós: “a alma que pecar, essa morrerá”.

Não é uma questão de opinião ou de sentimento. Ainda que você diga: “Eu não sou tão ruim assim”, a sua opinião não vai fazer Deus mudar de ideia, relevar ou dar um “jeitinho”. O veredicto de Deus é imutável: você precisa morrer!

Esta é a verdade. A pena do pecado é a morte. Mas o Senhor dos Exércitos se declara aos meus ouvidos, dizendo: Certamente, esta maldade não será perdoada, até que morrais, diz o Senhor, o Senhor dos Exércitos. Isaías 22:14. Portanto, todo o homem deve saber que, a “morte” e o “julgamento” estão na sua frente como “a justa recompensa da sua herança e dos seus feitos”. E também, tomar conhecimento que nada pode fazer por si mesmo para mudar ou alterar este destino.

Você pode fazer votos; pode alterar o seu modo de vida; pode reformar o seu caráter; pode se tornar mais moderado, moral, reto e, na aceitação da palavra, religioso. Pode produzir uma “oferta” de caráter “santo”, participar da ceia, contribuir financeiramente com os trabalhos, orar, jejuar, ouvir sermões. Enfim, pode fazer qualquer coisa, ou tudo o que estiver ao alcance da competência humana, não obstante tudo isso, “a morte e o juízo” estão na sua frente.

Então, poderia o esforço humano remover a mancha do pecado? Poderia satisfazer as justas exigências de Deus? Poderia tirar o aguilhão da morte? Impossível. Visto que: Sem derramamento de sangue não há remissão de pecados. Hebreus 9:22.

É impossível ao pecador, por suas próprias obras, livrar-se da morte e do juízo, colocando-se se a si mesmo na vida em triunfo. É nesse ponto, na completa impossibilidade do pecador, que a cruz se apresenta. Nessa cruz o pecador convicto pode ver a provisão divina necessária para toda a sua culpa.

Ali na cruz, o pecador pode ver a morte e o julgamento retirados inteiramente de cena, e a vida e a glória estabelecidas em seu lugar: Agora, pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, o qual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho. 2 Timóteo 1:10.

O Senhor nos trouxe luz e vida. A verdade é que, não há uma centelha de vida fora de Cristo. Fora de Cristo só há morte. Somos informados pelo próprio Senhor, que se não comermos de Sua carne e bebermos de Seu sangue, não temos vida em nós mesmos: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. João 6:53.

O ponto central do capítulo 6 do evangelho de João é a revelação do Deus-Homem. O Senhor descido dos Céus, humilhado e entregue à morte. Aquele que, sendo o Eterno, e ao mesmo tempo profeta e Rei, tomará o caráter de vítima e de Sacerdote no Céu.

Jesus tomou o lugar de Filho do homem em humilhação. Ele deu a Sua vida. O Seu sangue foi tirado do Seu corpo. A Sua morte foi a morte de todos os homens, porque para a vida “natural” só há uma solução, a morte. A alma que pecar, essa morrerá.

Com efeito, é num Salvador morto que vemos o pecado tirado, pecado que Ele levou sobre Si, por amor de nós. E a morte, para nós, é a morte da natureza pecadora, pela qual estávamos separados de Deus.

O Senhor Jesus tomou sobre Si o pecado. Ele foi feito pecado sobre a Cruz por nós. Portanto, a Sua morte é a nossa morte. E, aquele que está unido a Cristo naquela morte está justificado do pecado. Por esta razão, nós nos alimentamos da morte de Jesus: Levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. 2 Coríntios 4:10.

A nossa vitória sobre o pecado, sobre a carne e o diabo não está no que fazemos, isto é, porque oramos ou porque temos uma porção da palavra de Deus. A nossa vitória está fundamentada na redenção efetuada pelo nosso Senhor Jesus Cristo.

Nascemos espiritualmente em “falta” e essencialmente “tortos”. Nada podíamos fazer por nós mesmos. Mas, Ele deu a Sua vida na cruz. E, a essa vida o pecado foi ligado, por imputação, quando o bendito Salvador foi levantado naquela cruz. E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo. Isto dizia, significando de que gênero de morte estava para morrer. João 12:32-33.

Ao oferecer a SuaprópriaVida, juntamente com ela foi o pecado. Deste modo, o pecado foi eficientemente tirado, tendo sido deixado na sepultura, da qual o Senhor ressuscitou triunfante, no poder de uma nova vida. A esta nova vida, a justiça está claramente e inseparavelmente vinculada, tal como o pecado estava à vida que Ele deu naquela cruz. Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. 2 Coríntios 5:21.

O Senhor Jesus não cometeu nenhum pecado, mas Ele tomou sobre Si o pecado de cada um de nós. Ele foi feito pecado sobre a cruz por nós e, aquele que está morto, justificado está do pecado. Portanto, nós nos alimentamos da morte de Cristo. A Sua morte é a nossa morte.

O pecado e a morte ali na cruz encontraram o seu fim. E, agora, estamos ligados em graça, na Pessoa do nosso Senhor Jesus Cristo. Agora, estamos livres e nos alimentando da graça infinita Daquele que realizou a nossa redenção.

A expiação foi perfeita, o Seu amor é infinito e a expiação é total, absoluta. O que nos separava de Deus já não existe mais. Agora algo maravilhosamente bendito podemos dizer: “Encontrei Alguém que satisfaz perfeitamente meu coração – encontrei a Cristo”.

O sangue derramado e apresentado ao Deus santo como perfeita expiação pelo pecado. Este fato, quando simplesmente aceito pela fé, traz alívio à consciência, removendo todo sentimento de culpa e todo temor da condenação.

Nada há diante de Deus senão a perfeição da obra expiatória de Cristo. O pecado foi julgado e os pecados foram tirados. Foram completamente apagados pelo precioso sangue de Cristo. Crer nisto é entrar no perfeito repouso da consciência.

Por essa razão, precisamos sim, da graciosa ajuda do Espírito Santo para nos levar à Pessoa do nosso Senhor Jesus Cristo. E, assim dizer como Filipe disse a Natanael: Achamos Aquele: Filipe encontrou a Natanael e disse-lhe: Achamos aquele de quem Moisés escreveu na lei, e a quem se referiram os profetas: Jesus, o Nazareno, filho de José. João 1:45.

Se lermos as Escrituras e não encontrarmos a Pessoa do nosso Senhor Jesus Cristo, a nossa leitura não nos trará nenhum benefício. Tudo será meras letras, e as letras são mortas.

Se tratarmos esses assuntos simplesmente como doutrina, eles serão mortos. Alguns podem dizer que encontraram na Bíblia a Palavra de Deus, mas são desprovidos de vida. O nosso fracasso é simplesmente porque não tocamos no fato. Não tocamos em Cristo.

Filipe encontrou a Natanael e disse-lhe: Achamos Aquele. Então, o que estamos procurando quando lemos a Bíblia ou nos reunimos? O fundamento da nossa reunião é divino, o centro em volta do qual nos reunimos é Cristo. Se não for Cristo, podemos afirmar que somos os mais miseráveis dos homens!

Somente por meio da revelação do Espírito Santo seremos conduzidos para dentro de Cristo. E, sabermos que Ele é o grande “Eu Sou” e que Nele, encontraremos tudo, porque tudo que está Nele é cheio de vida.

“Eu Sou” significa: Nele tudo é eterno. Cristo é o Senhor do hoje; Nele não há passado. Tudo o que está em Cristo é para sempre. Ele é um eterno presente.

A cruz de Cristo é presente, a ressurreição de Cristo é presente, a ascensão é presente, a presença do Espírito Santo é presente. O que quer que Deus tenha nos dado em Cristo é presente.

Definitivamente precisamos saber que o nosso alimento é Cristo. Cristo é a verdadeira comida. Toda satisfação se encontra em Cristo. Cristo é o pão da vida. Cristo é a nossa justiça. Cristo é a nossa santificação.

Quem ousaria subir na balança e se submeter ao prumo? Só tem um que pode fazer isto por mim e por você. Aquele que morreu e ressuscitou e nos fez morrer e ressuscitar com Ele.

Que Deus abra os nossos olhos para vermos que em Cristo encontramos o tudo de Deus. Amém!


Nenhum comentário: