sábado, 14 de maio de 2011

O SEGREDO DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL - OS MILAGRES DE CRISTO 2 - CRISTIAN CHEN.







Jo 2:11 – Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Cana da Galiléia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.

Jo 21:1 – Depois disto, tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e foi assim que ele se manifestou:

A palavra manifestar-se no grego significa revelar-se novamente. No capítulo 2 temos o 1º milagre do Senhor Jesus que está registrado no evangelho de João. E naquele capítulo o Senhor revela a Sua glória. O último milagre do Senhor Jesus registrado no evangelho de João está registrado no capítulo 21 e neste milagre o Senhor revelou-se a si mesmo.

Então, no total nós temos registrado no evangelho de João oito milagres do nosso Senhor. Você se lembra que no ano passado nós compartilhamos a respeito de quatro deles e neste ano pela graça do Senhor nós estaremos compartilhando os demais. Talvez depois de um ano inteiro, vocês não se lembrem do que compartilhei no ano passado. Mas também sei que muitos de vocês estão aqui pela primeira vez. Para que então possamos dar uma continuidade às mensagens vamos gastar esta primeira para revisar aquelas quatro mensagens.

Como nós sabemos o Senhor Jesus realizou muitos milagres, muito mais do que oito. Mas o evangelho de João registra apenas oito. E no grego a palavra ali é de fato, sinal. Não é apenas um milagre, mas na realidade é um milagre com uma lição. E estes milagres devem nos mostrar algo. Então, pela graça do Senhor o Espírito Santo selecionou oito entre tantos milagres para ficarem registrados no evangelho de João. Para que possamos compreendê-los nós temos que entender qual foi o contexto.

Vocês se lembram daquelas duas chaves que abrem todo o evangelho de João? Para que você possa compreender todo o evangelho de João a palavra de Deus nos dá duas chaves. Na realidade, estas duas chaves estão nestas duas palavras gregas, neste evangelho. Na realidade é a mesma palavra, mas que parece duas vezes apenas. A palavra é: seio. No capítulo 1 o Filho que estava no seio do Pai e no capítulo 13 João estava no peito, no seio do Senhor. Não venha reclamar comigo se você não encontrar estas palavras nesta tradução da NBI, no grego ela aparece nestes dois capítulos citados. No capítulo 1:18 o nosso Senhor Jesus está no seio do Pai. Era assim que Cristo habitava em Seu Pai. E no capítulo 13:23 e 25 o apóstolo João que representava aqui a igreja estava aconchegado no peito do Senhor. Era assim que João permanecia em Cristo. Então, se você observar todo o evangelho de João, por um lado é uma grande revelação e nos diz que Jesus Cristo é o Filho de Deus que sempre esteve no seio do Seu Pai.

Nós sabemos que o evangelho de João foi o último dos quatro evangelhos a ser escrito. Vocês se lembram, quando Jesus chamou João para ser seu discípulo ele estava ali consertando as redes. Então, após aquele momento ele seguiu o Senhor e a ele foi confiado um ministério muito importante. Então, em toda a bíblia você vai encontrar não só o ministério de Paulo, de Pedro, mas também você encontra o ministério de João. Todos são ministérios maravilhosos. Quando Pedro foi chamado pelo nosso Senhor Jesus ele estava lançando as redes. Então nós sabemos e vemos mais tarde que o ministério de Pedro era lançar as redes. No dia de pentecostes ele lançou a sua rede e pescou três mil peixes, uma outra rede que lançou: cinco mil peixes. Porque o Senhor Jesus havia lhe dito: eu te farei pescador de homens. Então quando Pedro foi chamado ele estava lançando as redes e isto se tornou a característica do seu ministério. A mesma coisa se aplica ao apóstolo João. Ele estava ali consertando as redes quando ele foi chamado. E quando ele escreveu o evangelho de João, e isto foi quase no final do primeiro século, de alguma forma é como que aquela rede do evangelho tivesse partido.

De fato nós sabemos que o Senhor Jesus é o nosso salvador e Ele é o Rei. Como é que nós sabemos? Por meio do evangelho de Mateus. E o senhor Jesus Cristo como o Filho do Homem. Como é que nós sabemos disso? É por meio do evangelho de Lucas. E o nosso Senhor Jesus é aquele Servo fiel de Deus. Como é que nós sabemos? Por meio do evangelho de Marcos. Quase depois de um século, ou seja, cerca de 60 a 70 anos após a ascensão de Cristo de alguma forma, aquela rede do evangelho havia se partido. Então agora, João pode consertar as redes ainda que ele tivesse quase 100 anos de idade. Graças a Deus a sua memória não lhe faltou. Ele se lembrava de tudo desde aquele seu primeiro encontro com o seu mestre. Ele se lembrou que aquele primeiro encontro aconteceu cerca de quatro horas da tarde e se lembrou que aquele lugar era Betânia dalém do Jordão. Nos outros três evangelhos nunca é mencionado Betânia dalém do Jordão. Então João procurou consertar as redes, e não apenas isso, quando ele escreveu esse evangelho ele nos disse: Jesus não é apenas o Filho de Homem o nosso salvador, não é apenas o Servo de Deus o nosso salvador, não apenas também o Rei dos Reis que é o nosso salvador, Ele também é o Filho de Deus. E observa como ele descreve o Filho de Deus. Aquele que estava no seio do Seu Pai. O trono então é o centro da autoridade neste universo. É por isso que o nosso universo pode ser mantido. É por isso que o nosso universo não entra em colapso e nem se desintegra. É porque o trono de Deus é o centro dessa autoridade e ali você encontra o nosso Deus, o Pai do nosso senhor Jesus Cristo, mas ao mesmo tempo, o nosso Senhor Jesus sempre esteve no seio do Seu Pai. Então, por meio desse quadro tão maravilhoso, João não só nos diz de maneira tão objetiva que Jesus é o Filho de Deus, mas também nos descreve aquela comunhão tão maravilhosa que Jesus tinha com Seu Pai. No princípio Deus criou os céus e a terra. Mas muito antes disso, aquela história maravilhosa de amor e aquela história maravilhosa da união entre o pai celestial e Seu Filho unigênito. É apenas João que, por meio da revelação, consegue penetrar naquele ambiente tão maravilhoso. Então agora ele quer nos apresentar este Filho de Deus. Não apenas Ele é o Filho de Deus, mas também Ele é capaz de dizer: meu pai e Eu somos um. Você sabe quantas vezes no evangelho de João a palavra grega Pai, aparece? 120 vezes. E quantas vezes Jesus dizendo Eu? 120 vezes. O meu Pai e Eu. Como é que você consegue descrever isso? Porque o Seu Pai habita Nele e Ele também habita no Seu Pai. Essa é uma união maravilhosa: O Filho que está no seio do Seu Pai. Essa é uma grande revelação. Vocês conseguem ver isso? Não é apenas Deus ou apenas o Filho de Deus. Sim essa é uma teologia correta e precisa, mas é muito mais profundo do que isso. E João quer nos descrever essa maravilhosa história de união que existia desde o princípio. No princípio era a palavra e a palavra estava com Deus e a palavra era Deus. Então o verbo se fez carne. Como é que nós podemos compreender isso? Porque o Filho de Deus estava no seio de Deus. Então, se você puder me dizer sobre o que é este evangelho? É muito claro. Por meio deste evangelho Cristo nos foi apresentado como o Filho de Deus. Não apenas Filho de Deus, mas Ele está no seio do Seu Pai. É por isso que Ele nos declara o Senhor em grandes detalhes. Quando você vê o nosso Senhor, você vê o Pai. Então isso tudo é o evangelho de João.

Mas ainda é muito mais do que isso. Esse evangelho não é apenas teologia. Ele não apenas nos dá uma impressão correta de tudo a respeito de Deus. Porque esse evangelho é muito diferente dos outros três evangelhos. Esse evangelho foi descrito como sendo o evangelho espiritual algo muito mais profundo, totalmente espiritual. Se você fala de revelação nós estamos querendo dizer de algo objetivo. Mas ainda mais do que isso, não apenas revelação, não apenas aquilo que você vê, mas algo que agora você pode experimentar. Então, neste evangelho tudo aquilo que é objetivo pode ser tornado em subjetivo. Não apenas o filho está no seio do Seu Pai, mas também nós descobrimos que João está no seio do seu mestre e ali ele representa toda a igreja. Então irmãos, quando João estava no seio do seu mestre isso procura nos dizer exatamente como João permanecia, habitava em Cristo. O Senhor disse: eu sou a videira verdadeira e Ele prosseguiu dizendo que nós temos que permanecer Nele e Ele também permanecerá em nós. Em outras ocasiões Ele falou como Ele mesmo habitava em Seu Pai e com Seu pai habitava Nele. Então irmãos e irmãs, vocês vêem isso? Jesus não era apenas a videira verdadeira, mas nós somos os ramos, nós estamos no Seu seio. É por isso que quando você conclui todo este evangelho, por um lado ele mostra o Filho no seio do Seu Pai, mas por outro lado nos mostra João no seio do seu mestre. Então, se você se aprofundar em todo este livro você vai descobrir que João sempre procura nos apresentar algo que por um lado é objetivo mas também por outro lado é subjetivo.

Então, neste evangelho há pelo menos três palavras muito importantes. Na realidade são mais do que três, mas estas três palavras permeiam todo este evangelho. Quando você observa como estas palavras estão ali distribuídas, aí nós chegamos a uma conclusão muito interessante. Em primeiro lugar quais são estas três palavras importantes? A primeira é Vida e depois Luz e depois Amor (em inglês as três começam com a letra maiúscula L). Na verdade, estas três palavras aparecem em todo lugar no evangelho mas é muito interessante que nos primeiros 7 capítulos a palavra Vida é muito predominante. E do capítulo 8 ao 12 a palavra Luz sobressai. E quando você lê do capítulo 13 até o capítulo 21 a palavra Amor é muito proeminente.

Nos primeiros 7 capítulos, no princípio, a bíblia diz: a Vida estava Nele. No capítulo 7 diz que do interior daqueles que cressem fluiriam rios de água viva. Então, estes primeiros 7 capítulos começam e terminam com Vida. Então, quando ele chega na última sessão no capítulo 8 o Senhor Jesus disse: Eu sou a Luz do mundo, começa com Luz e quando chega no capítulo 12 o Senhor nos fala dos Filhos da Luz. No início e no final: Luz. Quando chegamos ao capítulo 13 então, ali é dito que o Senhor Jesus amava os seus e Ele os amou até o fim. Observe que esta sessão também inicia com amor. E no último capítulo o Senhor Jesus pergunta a Pedro: amas-me mais do que a esses? Três vezes. Então observe que esta sessão inicia e conclui com Amor. Irmãos, vocês percebem? Se você ler todo o evangelho de João: Vida, Luz e Amor.

Na realidade, você sabe que João teve uma grande revelação. Toda vez que nós falamos de revelação sempre lembramos de Paulo e não há dúvida a respeito disso. Realmente a revelação que Paulo recebeu foi realmente grandiosa. Mas se você conhecer o ministério de João você vai descobrir que a revelação que ele recebeu de nenhuma maneira é inferior àquela que Paulo recebeu. Porque ao longo de toda a sua vida ele de fato, recebeu três grandes revelações: Deus é Espírito, Deus é Luz e Deus é Amor. Irmãos e irmãs estas descobertas são muito maiores do que aquelas de Einsten ou Newton. Ninguém sabia quem era Deus. Quando você fala dos atributos de Deus, os teólogos utilizam muitas palavras para poder descrever a Deus. João teve condição de resumir tudo em três sentenças: Deus é Espírito, Deus é Luz e Deus é Amor.

A palavra é algo um pouco abstrato mas graças a Deus a palavra ou verbo se fez carne e quando o verbo se fez carne, agora se torna algo muito prático, muito concreto é como se você pudesse sentir. Então, quando o verbo se fez carne simplesmente significa que o amor se fez carne. Antes disso todos conheciam a palavra amor, mas não sabiam como definir amor. Porque nesta terra você só pode encontrar um segmento do arco, você nunca encontra um círculo inteiro. Por exemplo, na terra você só consegue contemplar a metade do arco íris. De fato, você só vai encontrar o arco-íris como uma circunferência completa em apocalipse ao redor do trono de Deus. Ninguém teve condição de definir o que era o amor, sempre permanecera um mistério. É como se fosse algo tão abstrato. Mas graças a Deus, quando o verbo se fez carne, o Amor se fez carne especialmente naquele momento quando João se encontrava à sombra da cruz. Ele foi a única testemunha entre os 12 discípulos. Ele viu todos os detalhes daquela cena. Observe que aquela cena da cruz o impressionou tão profundamente de forma que ele nunca, nunca se esqueceu. Agora você tem esse quadro aqui, mas você não tem a palavra!! Você precisa das palavras para descrever aquele quadro! Você pode imaginar que João tentou duramente encontrar as palavras para descrever aquela cena! E agora quando ele estava se tornando velho, idoso, mas aquele quadro nunca envelheceu. Finalmente ele descobre! Há uma palavra que consegue descrever aquilo que aconteceu no calvário, então ele diz: Deus é Amor! Não apenas uma vez mas duas vezes. Irmãos e irmãs ele era um homem idoso, ele está envelhecendo já estava com quase 100 anos de idade. Você pode imaginar que um homem tão idoso possa nos dar uma revelação tão maravilhosa? Hoje você não pode imaginar que um homem idoso vai te fornecer alguma coisa nova. Isso não é verdadeiro irmãos. João disse, e na idade que João disse e na realidade foi o Espírito Santo que falou: Deus é Amor. Você pode imaginar ele já estava com quase 100 anos de idade. Um outro grande homem no antigo testamento, Daniel, ele já tinha quase 90 anos e ele pode então nos mencionar aqueles 70 x 7. E aquilo então representava o grande programa de Deus. Se olhasse adiante dele não apenas 7 anos mas 70 x 7 anos. Nenhum homem idoso gosta de olhar para frente porque quantos anos ele tem diante de si? Mas quando Daniel olhou adiante de si, 7 anos ou talvez mais 10 anos, talvez depois deste tempo Daniel já estivesse jazendo em algum lugar, mas ele estava olhando para muito além. Talvez depois de 7 anos não houvesse mais Daniel, mas depois de 69 x 7 anos não apenas um ungido, mas também o próprio ungido já havia sido retirado. Se você olhar com mais detalhes na profecia. Para aquele programa de Deus isto significa Cristo e Ele crucificado. Então irmãos, observem que há outro homem idoso na bíblia e graças ao Senhor por meio da sua fidelidade nós podemos então conhecer o propósito eterno de Deus.

Quando nós retornamos ao evangelho de João nós podemos perceber que ali está a visão de João e ele tenta compartilha-la conosco. Então, quando ele fala a respeito do Filho que estava no seio do Pai, inicialmente ele menciona que Deus é Espírito e então que Deus é Luz e então que Deus é Amor. Irmãos e irmãs vocês vêem isso?

Nos primeiros 7 capítulos a palavra dominante é Vida e Deus é Espírito. É por isso que nós temos que caminhar, andar em Espírito como o apóstolo Paulo nos dizia. Quando você ouve dizer que Deus é Espírito é como se fosse algo muito abstrato mas é exatamente aquele Filho que estava no seio do pai quem declara isto. Então quando o verbo se fez carne e Ele mesmo pode dizer: Eu sou a Vida. Ele desafiou aqueles eruditos, aqueles rabinos. Ele disse: buscai as escrituras e julgais ter nelas a vida eterna, mas vocês não querem vir a mim para terem vida (Jo 5:39-40). Eu sou a fonte da Vida. Então quando Deus está no trono tudo é como se estivesse muito distante muito abstrato. Não só no princípio era o verbo e o verbo se fez carne. Mas mais do que isso, a palavra que vos tenho dito são Espírito e são Vida. Então irmãos e irmãs graças a Deus esse evangelho maravilhoso serve para nos declarar aquela graça maravilhosa. Esses são os primeiros 7 capítulos.

Então quando chegamos na sessão central João procura nos dizer que Deus é Luz. Então desde o capítulo 8 até o 12, então de novo, esta Luz é muito abstrata e Deus habita naquela Luz que é inatingível, é basicamente impossível alcançar aquela Luz. Mas quando Jesus esteve sobre a terra Ele disse: Eu sou a Luz do mundo, todo aquele que me segue não mais andará em trevas, mas receberá a Luz da Vida (Jo 8:12). Vocês vêem isso? Então, essa Luz está conectada com a Vida. Vocês percebem isso? Tudo se torna tão concreto por causa de Jesus Cristo. Mas pelo fato de Deus ser Luz e pelo fato de nós seguirmos o nosso mestre não mais permaneceremos em trevas, mas receberemos a Luz da Vida. Não a luz mecânica ou elétrica como essa, mas a Luz de Cristo habita em você e em mim. Mas esta Luz vai produzir a Vida. De forma que nós vamos poder andar nessa Luz. Graças ao Senhor, a unção já está em você e em mim. Se nos seguirmos o ensinamento dessa unção nós estaremos permanecendo em Cristo. Então permanecer em Cristo não é apenas um slogan, permanecer em Cristo é uma realidade. Se você chegar à sessão central do evangelho de João, Deus não é apenas Luz mas nós temos que andar nessa Luz. Exatamente como João mencionou nas suas epístolas: se você vê algo você também tem que andar de acordo com aquilo que você vê. A razão pela qual você vê é porque aquela visão te conduzirá a um caminho. Quando você prossegue naquele caminho não é apenas algo objetivo, mas é algo subjetivo. Isto deve realmente ser a realidade da sua vida. A nossa vida diária tem que ser de andar no Espírito porque Deus é Espírito então nós temos que andar na Luz, Deus é Luz. Vocês vêem isso? Esse é o caminhar cristão, essa é a vida cristã. Nós não temos condições de viver uma vida cristã a não ser que nós tenhamos a vida de Cristo pra viver. Então me diga o que é a vida cristã? Se você ler o evangelho de João a vida cristã é derivada de uma revelação maravilhosa. A razão pela qual você caminha dessa maneira é porque Deus é Luz é por isso que você anda na Luz. A razão pela qual você anda no Espírito é porque Deus é Espírito. Então Deus busca aqueles adoradores verdadeiros, aqueles que O adoram em Espírito e em verdade. Esse é o adorador verdadeiro. No grego há duas palavras diferentes para verdadeiro: a palavra verdadeiro que é o (oposto) antônimo de falso. Aqui não é nesse sentido, mas sim aquela que é antônimo daquilo que não é realidade. Quando o Senhor Jesus disse que Ele é a videira verdadeira não significava com isso que as outras videiras eram falsas. Mas simplesmente estava dizendo que Ele é a realidade. Isto é, que todas as demais videiras foram criadas segundo aquela videira verdadeira. E agora nós compreendemos: por um lado nós vemos algo, mas por outro lado o Espírito Santo vai nos colocar num caminho. Então agora nós andamos no espírito. E nós podemos agora adora-Lo como aqueles verdadeiros adoradores. Quando o Senhor falou com a mulher samaritana, aqueles samaritanos também adoravam a deus mas eles adoravam o falso deus. Então aquilo era uma adoração falsa. Mas mesmo no AT aquela adoração não era uma adoração verdadeira. Não no sentido de que ela era falsa. É por isso que Jesus disse o tempo virá quando depois do Senhor Jesus ter morrido por nós na cruz, então após o pentecostes quando o Espírito Santo desceu, então o Espírito Santo revivifica o nosso espírito e então nós podemos adorar a Deus em Espírito. Então esta adoração é em realidade ela é verdadeira. É dessa maneira que o Senhor disse que Deus busca os verdadeiros adoradores. Quando nós andamos em Espírito, o que nós estamos fazendo? Estamos adorando a Deus em Espírito e em verdade. Então esse é o nosso andar, o nosso caminhar cristão.

Deus não é apenas Espírito, Deus não é apenas Luz, mas Deus é Amor. É por isso que nós também devemos andar em amor. É exatamente como Paulo menciona no capítulo 5 de efésios: a razão pela qual nós caminhamos em amor é porque nós temos uma base, um fundamento maravilhoso: é que Deus é Amor. Como nós podemos saber que Deus é Amor? Quando O Senhor Jesus morreu por nós na cruz, o amor se fez carne, se tornou tão real. Quando somos tocados por aquele amor que nunca termina, que nunca vai nos deixar partir, o que podemos fazer? Podemos dizer como Pedro, sabemos que somos cheios de falhas sabemos que nunca teremos condições de amar o Senhor. E Pedro disse: Tu sabes que eu te amo. Anteriormente quando Pedro dizia alguma coisa ele sempre começava a frase com eu. Depois de ter aprendido aquela lição tão amarga, ele conhecia agora a sua própria natureza, não há qualquer fidelidade em mim, não há amor, nada , mas graças a Deus, quando Jesus morreu na cruz Paulo estava lá é por isso que ele disse eu estou crucificado com Cristo, Pedro também estava lá. Mas graças a Deus, depois da ressurreição do nosso Senhor, Paulo disse: mas eu também ressuscitei com Ele, a mesma coisa com Pedro. Então após a ressurreição não mais Pedro, mas Cristo que vive em Pedro. Por causa dessa vida maravilhosa ele pôde dizer pela graça Senhor: Tu sabes que eu te amo eu não ouso dizer EU mais. Eu tenho que dizer algo assim, mas eu caí terrivelmente. Sem Cristo nós não podemos fazer nada. Sem Cristo nós não podemos produzir qualquer fruto, nenhum fruto de amor, nenhum fruto de humildade, nada. Então irmãos, lembrem-se porque o amor de Cristo foi derramado em nossos corações, quando nós somos tocados pelo seu amor, nós não podemos fazer qualquer outra coisa senão nos oferecermos como um sacrifício vivo. Aí então nós temos este caminho do amor. Nós podemos caminhar em amor.

O que é a vida cristã? A vida cristã é o andar cristão. Como nós podemos compreender o caminhar cristão? O apóstolo João explica para você e para mim qual é o caminho cristão: é da vida para a Luz e para o amor. É por isso que desde o princípio o Senhor Jesus já disse para os seus discípulos: sigam-me. E no último capítulo o Senhor Jesus disse: sigam-me. A mesma palavra. De acordo com Campbell Morgan no grego significa vem juntamente comigo. Você não tem qualquer caminho, mas eu tenho um caminho, vem junto comigo. Irmãos e irmãs do capitulo 1 ao 21 há um caminho. Na primeira sessão o caminho da Vida, depois o caminho da Luz e depois finalmente o caminho do Amor. Vocês vêem isso? Há um caminho, é por isso que desde o início até o final Ele diz segue-me. E é assim que nós seguimos nosso Senhor Jesus. Há um caminho, mas na realidade não é só um caminho, mas um caminho de crescimento de um estágio a outro estágio. Do estágio da Vida ao estágio da Luz. Quando você está cheio de vida, significa estar cheio de Luz então você pode caminhar na Luz, você vê isso? Por meio da palavra da Deus, na bíblia, então, aquela Luz começa então a brilhar e a brilhar e então você sabe agora como prosseguir.

E esse é o segundo estágio, a Vida é uma coisa um tanto abstrata, mas quando a Vida realmente está madura, quando você chega ao estágio do amor, essa palavra no grego é ágape. Aquele Amor nada tem a ver com a nossa emoção. De fato aquela palavra tem algo a ver com a nossa vontade. Ama os teus inimigos! Você nunca se apaixona pelos seus inimigos, porque o mandamento do nosso Senhor é ama aos teus inimigos. Lembre-se, nós não temos Amor. Nós nunca tentamos amar, mas quando você obedece ao Senhor, quando você diz sim ao Senhor agora você ama ao seu inimigo, Você vê? Isso não toca a sua emoção. Para os jovens: você não precisa ensinar para eles o que é amor. Quando eles dizem me apaixonei significa que eles não puderam nem resistir, tem algo a ver com as emoções, as emoções tomam conta de tudo. Mas o Amor cristão mencionado nos evangelhos é um amor com princípio, é um amor com ação. Lembre-se quando a vida realmente cresce e ela realmente produz fruto, isso é amor.

Aí você vê o nosso crescimento cristão, o caminho do crescimento que veio do caminho da Vida, passando pelo caminho da Luz e o caminho do Amor. É assim que nós crescemos em direção à maturidade. É por isso que Jesus disse: fruto, muito fruto e mais fruto. É assim que João também nos escreve: na igreja você tem as criancinhas, tem os jovens e tem os pais. Se você ler a bíblia cuidadosamente, a vida cristã não é estática, essa é uma vida que cresce e cresce em direção à maturidade. Na historia da igreja muitas pessoas querem crescer. Como nós podemos crescer à maturidade? Há muitas sugestões, mas irmãos, se vocês realmente querem viver uma vida assim: andem no Espírito, andem na Luz e andem em amor. Até o ponto que você vai descobrir que não tem condição. Você está desejando fazer, seguir o Senhor realmente é o seu desejo, mas depois de tentar tanto você vai descobrir que falha terrivelmente. Então, quando nós compreendemos que este é o caminho do crescimento nós queremos fazer alguma coisa. É por isso que alguns irmãos na historia da igreja falam dos exercícios espirituais. Você tem que fazer algo! Você vai ter que se enclausurar num alto de uma torre. Muitas pessoas querem crescer em Cristo e então muitos concebem métodos para que possamos crescer dessa maneira. Mas qual é o segredo para que possamos ter um crescimento espiritual? Neste contexto nós temos então esses oito milagres de Cristo, é por isso que eles nos são relatados, não é apenas um estudo bíblico. Em todo este conjunto você vai descobrir qual é o segredo do crescimento espiritual. Os milagres de Cristo são as obras de Cristo. Quando nós vivemos a vida cristã, não é que nós que trabalhamos, mas sempre Cristo é quem trabalha. É por isso que temos oito milagres.

O que é milagre na bíblia? Você tem que buscar essa definição na própria bíblia. No AT quando eles viam aqueles milagres que Moises realizou há algo comum ali. Este foi o dedo de Deus (Ex 8:19). Então irmãos e irmãs, como nós podemos viver uma vida cristã? Como nós podemos crescer em Cristo? Do estágio da Vida para o estágio da Luz para o estágio do Amor. Da infância para a adolescência até a vida adulta. Isso só pode acontecer quando Deus virar o Seu dedo. Foi por isso que intencionalmente o Espírito Santo selecionou estes 8 milagres. Apenas quando Cristo opera em você e em mim, não mais eu, mas Cristo que vive em mim. Se você permitir que essa vida viva por meio de você, lembrem-se irmãos e irmãs cada dia Cristo vai mover o seu dedo. Nós cremos em milagres hoje. Mas cada um desses milagres é porque Cristo moveu o seu dedo em nossas vidas. Quando alguém é miraculosamente curado isto é um milagre, mas quando o cristão ouve a voz do seu mestre e ele volta a outra face, quando ele anda uma outra milha lembre-se isto é um milagre. Nós damos graças a Deus, muitas pessoas são curadas de maneira maravilhosa, mas muitas vezes nós vivemos numa condição muito amarga, nós somos amargos contra todos. Mas agora quando alguém faz algo contra você, você está desejoso de dar a outra face? O seu inimigo nunca espera que você dê a outra face. Se você não der a outra face você não vai estar ofendendo o seu inimigo mas você vai estar ofendendo outra pessoa porque foi o nosso mestre que disse para darmos a outra face. Então vocês vêem irmãos? Quando você der a outra face um milagre acontecerá na sua vida. É assim que nós vivemos a nossa vida cristã, é assim que nós crescemos juntos. Foi assim que aquelas águas de Mara se tornaram doces. Somente aquele madeiro que está entre a cruz e a nossa vida, quando aquele madeiro opera aí então ele produz doçura. Então nós não mais teremos a doença dos egípcios. Você sabe qual é a doença deste mundo? É a amargura pra todo lado. É por isso que você vê o pessoal amaldiçoando pra todo lado. Quando você liga a televisão tem maldição, quando você anda na rua tem maldição. Por quê? Porque há amargura em todo lugar. Essa é a doença dos egípcios, mas há uma coisa maravilhosa nós podemos ser libertos da doença dos egípcios. Sempre doçura. Vocês se lembram da historia daquele reavivamento no país de Gales. Havia aqueles mineiros trabalhando lá no profundo, todo lugar estava completamente em trevas. Então, o temperamento deles sempre era muito quente, eles amaldiçoavam o tempo todo. E quando amaldiçoavam, aí então, o burrinho começava a andar. E aquele burrinho ficou acostumado com aquelas maldiçoes. Mas após o reavivamento, pense nisso, um milagre aconteceu naquelas vidas. Muitas vezes nós falamos a respeito de um reavivamento mundial Você vai pensar em quantas pessoas serão salvas. Quando você considera o número de pessoas que foram salvas no reavivamento do país de Gales, alguns dizem que foi o mesmo número de almas que foram salvas durante todo o ministério de John Wesley. Este é um milagre maravilhoso, grandioso. Mas após aqueles mineiros serem salvos eles não maldiziam mais. Eles foram libertados da doença dos egípcios. E agora, quando eles precisavam fazer com que os burrinhos andassem, eles não amaldiçoavam mais, eles falavam: por favor! Olhe só! Por favor! O burrinho não estava entendendo mais nada. Isso é reavivamento! Isto é milagre! Nós queremos reavivamento em todo lugar, mas você se esquece que é o Senhor Jesus que opera o milagre a cada dia na sua vida, na minha vida quando nós permitimos que Cristo viva por meio de nós. Nós realmente continuamos a orar por um reavivamento nesta terra e o reavivamento virá. Você se lembra daquela oração maravilhosa de E. Hopkins. Ele disse: Senhor curva a tua igreja, dobra. Irmãos nós precisamos que o espírito Santo venha nos quebrar, venha nos dobrar. O nosso pescoço sempre é muito duro. Nós precisamos ser quebrantados, dobrados. Como? Uma pessoa tão orgulhosa como eu sou, como posso aprender a lição da humildade? Graças a Deus, quando Jesus Cristo move o Seu dedo, um milagre vai acontecer. E o marido vai observar: um milagre aconteceu nesta casa. Quando a sua esposa volta a outra face, anda a outra milha, isto é um milagre! Então o milagre ou reavivamento começa em cada família. Agora você entende é por isso que nós falamos de milagres.

Nós sabemos então que há oito milagres. No ano passado mencionamos que estes 8 milagres têm uma estrutura especial. 1, 2, 3, 4, até chegar em 8. Você observa, então, que há uma simetria central nestes 8 milagres. Essa simetria central também é conhecida por simetria especular. Vamos supor que você coloque um espelho na parte central do nosso irmão, vocês estão vendo? Tem um olho aqui e vai ter um olho do lado de lá. É como um espelho, você vê? Tem um ouvido aqui e outro lá, uma mão aqui e outra lá, tem um pé aqui e outro lá. Se você estudar os 8 milagres de Cristo é assim. É por isso que o ser humano é a obra prima de Deus. Então, essa simetria é chamada de simetria especular. Deixe-me utilizar uma frase apenas para lhes explicar o que é simetria especular. Vamos supor que você escreva uma frase horizontalmente. Ouça cuidadosamente:

Isaque ama Rebeca da mesma forma que Rebeca ama Isaque. Você observa esta frase? Você vai ter Isaque no princípio e no final, amor, amor, Rebeca e Rebeca. Essa é uma simetria central, especular. Quando você lê toda a sentença você pode ler da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda. Então essa simetria especular, a mesma coisa se aplica aos 8 milagres. Porque o 1º milagre corresponde ao último milagre. Você descobre quando estuda estes dois milagres que é muito interessante.

No primeiro milagre não há mais vinho e no último não há mais peixe. Você vê? No início não há vinho, depois há abundância de vinho. Também no outro, no início não havia peixe mas depois 153 peixes. Você vê? Desta forma nós temos o primeiro grupo, o 1º e o último. Estou repetindo isto para refrescar a sua memória.

Agora chegamos ao 2º milagre. Vocês se lembram como o filho daquele homem nobre estava para morrer. E como o pai daquele menino viajou desde Cafarnaum até chegar em Caná da Galiléia. De 200 metros abaixo do nível do mar até chegar ao nível do mar. Ele então teve que subir, subir e subir. Mas por causa do seu filho o pai estava disposto a fazer qualquer coisa. Finalmente ele se encontra com Jesus e então ele ora: ele pede que o Senhor Jesus desça para curar o seu filho. E o penúltimo milagre, na realidade o 7º milagre é o milagre de Lázaro vocês se lembram? Quando aquela notícia chegou aos ouvidos do nosso Senhor: aquele a quem amas está doente. Quando Marta e Maria enviaram aquela mensagem, elas tinham a certeza de que aquilo era suficiente não precisavam dizer mais nada. Se você conhece nosso mestre, ele definitivamente virá imediatamente. A gente nem precisa dizer: Senhor venha rapidamente, não precisa. Mas que tristeza, que desapontamento! E o Senhor intencionalmente permanece ali por mais alguns dias. De forma que quando Ele chega em Betânia, Lázaro já estava no túmulo. Marta reclamou e até mesmo Maria reclamou. Se o Senhor tivesse chegado mais cedo o meu irmão não teria morrido. Então nestes dois milagres você descobre que há lago desesperador acontecendo. Vocês percebem? O meu filho está para morrer e aquele a quem Tu amas está doente. Em ambos os casos eles oraram, mas é muito interessante. Neste conjunto de 2 milagres agora você descobre que, por um lado o Senhor Jesus respondeu aquela oração, mas por outro lado Ele não respondeu aquela oração. É um paradoxo maravilhoso! Isso é parte da vida cristã. É assim que nós aprendemos a lição da oração. A lição da oração é tão simples. Qualquer cristão, até aquele que foi recém salvo pode fazer isso. Mas esta lição é profunda o suficiente. Ainda que você tenha sido salvo por muitos anos, nós ainda estamos aprendendo esta lição. Porque por detrás de cada oração nós esperamos que um milagre aconteça, mas o Senhor Jesus espera que um outro milagre diferente daquele aconteça. Você ora para o Senhor para que a doença seja curada e o senhor vai ouvir a sua oração, mas o Senhor vai te ensinar uma lição, Ele tem em mente um outro milagre. Ele quer mover o Seu dedo para que nós sejamos transformados de glória em glória. Algumas vezes quando nós oramos queremos que Deus mude alguma coisa, que mude o nosso ambiente, isso é um milagre, mas nós nunca saberemos se de fato é aquele momento é o momento que Ele quer me mudar. Nós oramos, oramos e oramos e ainda permanecemos os mesmos. Nós vemos tantas maravilhas e milagres em nossas vidas, mas há um milagre na mente de Cristo: que nós sejamos transformados à Sua imagem. Então por esta razão, nós temos muito que aprender. Este é o 2º par de milagres.

Então nós chegamos ao 3º par de milagres. Nós encontramos aquele paralítico e aquele que era um cego de nascença. Há uma outra simetria, há uma outra correspondência aqui e nós não entraremos em detalhes desta vez. E finalmente nos vemos aquela multiplicação dos peixes e o Senhor caminhando sobre o mar e este é o outro par. Então estes são os 8 milagres.

Mas há algo muito interessante. Se você iniciar do 1º par, for para o 2º par, for para o 3º par e for até o último par você vai observar que há um avanço, um progresso aí. Somente quando nós entrarmos nos detalhes que vocês vão perceber este progresso.

Então vamos rever rapidamente o 1º par. Este é sempre o fundamento da vida cristã. Nós já mencionamos, aos olhos de Deus de acordo como Isaías nós não somos nada, nós somos menos do que nada. Ou seja, antes de sermos salvos nós éramos iguaizinhos ao mar morto, isto é, 400 metros abaixo do nível do mar. Mas graças ao Senhor por uma salvação tão maravilhosa, a cruz sem dúvida é um sinal de soma , ela sempre adiciona algo a nós. Então, de fato, antes de crer no Senhor Jesus nós éramos exatamente como o mar Morto, mas a cruz sempre nos eleva. Aí não será mais 400 negativos, mas a cruz nos eleva a tal ponto e este ponto é zero. Todo cristão começa com zero. Nós estávamos abaixo de zero, mas pela graça de Deus, aquilo que sou é por causa da graça de Deus. Então, lembre-se, nós éramos menos do que nada, mas finalmente por causa da sua salvação maravilhosa nós nos tornamos nada então nós começamos com zero. Você vê isso? Somente quando chegamos a zero aí Cristo começa a Sua obra. Somente quando somos reduzidos a zero Cristo vai mover o Seu dedo aí um milagre vai acontecer. Esta é uma coisa maravilhosa. Quando você compara um recém nascido humano com um bezerrinho, de acordo com a ciência, o QI de um recém nascido é zero, mas o do bezerrinho não. No 1º dia do seu nascimento o bezerrinho já consegue ficar em pé e consegue mamar. Se você vir um recém nascido ficando em pé de repente você vai desmaiar na hora. Nós começamos do zero. Vamos comparar agora como tubarão, quando o tubarãozinho nasce ele está cheio de dentes. Imagine um recém nascido abrindo a boca e cheio de dentes! Não! nós começamos do zero. Você vê isso? E pelo fato de nós começarmos do zero Cristo pode usar a Sua pena e a Sua tinta para escrever nesta página em branco que somos nós. E daí pra frente nós crescemos. Então, lembre-se o 1º milagre é zero e o último milagre é zero. De zero a zero. Este é o princípio da vida cristã. A vida cristã é aquele vida de não eu, mas Cristo. Lembre-se na última vez nós falamos do nº 153 na base binária. È muito interessante e é claro que eu fiz isso para poder encorajar os jovens. Todos os jovens conhecem o computador muito bem e o computador é tão estúpido e tão burro que só sabe 1 e 0 (zero). Quando está ligado ali, significa 1 e quando está desligado significa 0 (zero). Na linguagem do computador ele só conhece 0 (zero) e 1, nada mais. Se você tentar converter o nº 153 para base binária. O nosso sistema que usamos é decimal porque temos 10 dedos. Mas agora quando nós falarmos do sistema binário porque diante de Deus só há 2 homens: ou Adão ou Cristo. Então esta matemática celestial é muito interessante. Então como é que você pode converter o nº 153 do sistema decimal para o sistema binário? vai ser 10011001. Acho que vocês se lembram disso. Qual é a mensagem por detrás disso? 1 significa ligado, e ligado significa Cristo e o desligado significa eu (0). Ligado Cristo desligado sou eu. Não eu, mas Cristo: esta é a mensagem. De zero a 153. De nada até a abundância. Esta é uma história maravilhosa. Então nós começamos em zero e chegamos em zero. Então o bebezinho começa de zero, de nada. Aquela é uma vida de dependência. Sem os seus pais aquele bebezinho não consegue viver. Que significa isso? Isso representa a árvore da Vida que significa uma vida de dependência, uma vida que sempre depende da Vida de Cristo. E aquela árvore do conhecimento do bem e do mal exatamente como dos animais que assim que nascem tem um QI muito alto. Ele sabe viver por si só. Mas o Senhor Jesus disse: sem mim nada podeis fazer. Então, lembre-se, esta é uma vida de dependência. Mas este é o nosso fundamento. E como nós podemos prosseguir nesta vida?

Qual é o segredo para que o bebê viva? Como você sabe que o bebê está com fome? Quando ele começa a chorar. E quando faz isso ele está dizendo: eu me rendo, não foi da minha vontade que vim para este mundo eu não sei como lidar com este mundo. Eu não tenho qualquer saída, não tenho esperança. Eu preciso de ajuda! Então a mamãe ouve aquele choro e então a comida será suprida. É assim que o bebê cresce. Se o bebê nunca chorar é muito perigoso. É por isso que os doutores observam se o bebê não chora no princípio ele vai virar o bebê de cabeça para baixo e vai dar uma palmada nele e ele vai começar a chorar. Aí o médico fica aliviado. Ah! Este bebê vai crescer e vai ter um futuro maravilhoso. Sabe como nós podemos viver hoje? Nós começamos de zero. A única coisa que podemos fazer é chorar, ou seja, orar é o nosso choro. É assim que começamos a nossa vida cristã. E é assim que nós chegamos a este 2º par de milagres. Por um lado o nosso Senhor responde a nossa oração. O filho daquele homem nobre foi curado. Por outro lado, o Senhor não respondeu a sua oração. Porque de acordo com a oração dele: por favor desça até Cafarnaum, eu não tenho qualquer dúvida quanto ao Seu poder, mas de acordo com a minha própria sabedoria talvez seja muito melhor se você descer até Cafarnaum e quando você impuser a mão sobre o meu filho ele será curado. Mas irmãos, para a nossa surpresa o nosso Senhor não desceu com ele. Neste aspecto o Senhor não respondeu a sua oração. Mas apenas uma palavra, graças Senhor, por meio daquela palavra viva, o caminho entre Cafarnaum e Caná se tornou um caminho de fé. O que é fé? Deus disse e eu creio. Isso é fé. Essa foi uma experiência maravilhosa. Antes daquele milagre acontecer, não há dúvida, de fato, Cristo moveu o Seu dedo e é por isso que o filho daquele homem foi curado. Mas, ao mesmo tempo Cristo estava movendo o Seu dedo na vida daquele homem. A sua oração foi negada. Agora aquele homem está sendo transformado, agora ele sabe o que é fé. Então irmãos e irmãs lembrem-se: é muito mais fácil para o nosso ambiente mudar, é muito mais fácil que a nossa doença seja curada, mas a parte mais difícil é nós não permanecermos os mesmos. Exatamente como Jonas. Na sua história, aquele navio ouviu o Senhor, aquele peixe ouviu o Senhor, as plantas ouviram o Senhor, tudo ouviu o Senhor menos Jonas! Quando o Senhor falou: vai para leste Jonas foi para oeste. e ele era tão duro nem mesmo o peixe conseguiu suportar Jonas. Depois de 3 dias o peixe disse: chega! Vou ter que vomitar este cara! Nós somos exatamente como Jonas. Lembre-se quando nós falamos do milagre de Jonas. O fato dele ter ficado 3 dias e 3 noites no ventre daquele peixe, isto é um milagre, sem dúvida. Mas depois o próprio Jonas se torna um milagre. Porque aqueles ninivitas adoravam o deus peixe. Então quando eles viram alguém que saiu do ventre do peixe, utilizando a linguagem do NT, a operação da cruz na vida de Jonas e agora ele se torna o milagre. Jonas foi maravilhosamente transformado. Os milagres estão sempre em pares. A sua doença foi curada, mas você foi transformado. Vocês obteve um novo emprego, mas ao mesmo tempo nós somos transformados. Então estes 8 milagres formam estes 4 pares de zero até zero. Nós aprendemos os milagres da oração. Por meio da nossa oração muitos milagres acontecem, mas também ao mesmo tempo nós estamos sendo transformados. E aí este é o caminho que nós crescemos. Creio que após esta revisão poderemos prosseguir para o próximo par nas outras manhãs. Temos ainda 3 sessões.

Nenhum comentário: