sexta-feira, 9 de julho de 2010

SUTIL ARMADILHA.

A Graça e a Paz do nosso Senhor Jesus Cristo!

Confesso a vocês que me impressiona o poder que o futebol exerce na vida das pessoas, e em particular, na vida de muitos cristãos. Há um poder espiritual maligno por trás deste esporte e que não temos visto ou não queremos ver. Não falo do esporte em si, mas refiro-me a um poder sobrenatural que emana dele e que tem mantido em cativeiro muitos filhos de Deus.

O futebol tornou-se um ídolo na vida de milhões de pessoas. Parece ser parte intrínseca da grande maioria das famílias. O futebol é um deus gerador de muitos deuses. A influência que ele exerce em todo o mundo vai além de nossa imaginação.

Leiamos Atos 17.16:



“Enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se revoltava em face da idolatria dominante na cidade.”



Este texto nos revela que enquanto esperava Silas e Timóteo, o apóstolo Paulo se indignava com a idolatria em Atenas. Atenas era a principal sede de ensino e civilização durante o período de ouro da história da Grécia. Era um famoso centro e berço de cultura. Paulo se entristece muito e se revolta ao ver a infinidade de ídolos, de falsos deuses que eram adorados pelo povo daquela cidade.

Amados e queridos irmãos, vocês vêem alguma semelhança entre Atenas e o Futebol? Que semelhança poderia existir entre uma cidade e um esporte? Certamente, olhando deste ângulo, nenhuma. Mas, há algo que é próprio tanto de Atenas quanto do Futebol: a produção de ídolos. Assim como Atenas era idolatrada por sua cultura e imponência, o futebol em si tem se comportado como um grande ídolo que produz inúmeros outros ídolos ou deuses se preferir. Os ídolos são falsos deuses que vindicam adoração. Os demônios representados pelos falsos deuses exigem que aqueles que o adoram voltem a sua mente os seus olhos para eles com toda a atenção.

Naturalmente, no cotidiano do mundo, o futebol já mostra toda a sua essência idólatra. Porque a idolatria carrega em si engano, escravidão e todo tipo de violência. Observem o futebol com mais cuidado. Vocês já perceberam engano, escravidão e violência como características inerentes ao futebol? Acredito que vocês já testemunharam em algum noticiário, a violência entre torcidas. Jovens e adultos se enfrentam como animais irracionais e demonstram toda a sua insanidade, um comportamento próprio de reféns da idolatria. Várias pessoas já foram assassinadas em brigas relacionadas com o futebol. Vocês acham isso normal? Acham que isto é uma questão de segurança pública? Ou uma questão de cultura ou educação? Vocês já ouviram falar nos Hooligans? Este termo é usado para descrever grupos de torcedores europeus, ou mais comumente da Inglaterra, que praticam a violência entre torcidas e o vandalismo por onde passam. A cultura e a educação tanto na Inglaterra quanto em toda a Europa são bastante valorizadas. O índice de analfabetismo no continente europeu é mínimo. Portanto, não é uma questão de educação. Com certeza, esse tipo de comportamento é uma das manifestações da natureza pecaminosa que herdamos de Adão. E essa natureza está sempre propensa a servir o mal.

No entanto, não quero aqui expor unicamente a violência física. Porque acredito que há uma violência muito mais brutal, embora sutil, do que a que temos visto nos jornais. Na verdade este tipo de violência é uma consequência e não uma causa. Já observaram como os próprios pais ou responsáveis incutem o fanatismo pelo futebol na mente dos seus filhos desde muito pequenos? É impressionante como algumas crianças já crescem torcedores fanáticos. Para muitos pais, e eles acabam passando isso para os seus filhos, o clube que idolatram torna-se a sua vida. E as crianças crescem batendo no peito e cantando os hinos que exaltam os seus times a ponto de se tornarem o centro de sua existência. Isto não é normal. Isto faz parte do propósito maligno de Satanás. O futebol tem submetido milhões e milhões de pessoas ao seu julgo de escravidão.

Este caráter sombrio do futebol fica ainda mais evidente em ano de Copa do Mundo. Irmãos, o próprio nome deste torneio é esclarecedor. É do mundo. Todos buscam para si uma taça (ou cálice) do mundo. No artigo intitulado “Idolatria no Patriotismo e no Futebol” postado no site Celebrando Deus, o irmão Bruno Estêvão diz que esta taça é um ídolo. Neste artigo, ele também nos fala do espírito do patriotismo, de toda a corrupção e manipulação existentes, e do plano maligno que está por trás de tudo isto. Agora pensemos: O que a Igreja tem a ver com o mundo? O que a luz tem a ver com as trevas? É muito triste ver irmãos escravos dessa sutil armadilha satânica. Aparentemente não há nada de mais em torcer por um time de futebol, mas a realidade envolvida nisso é que o diabo tem conquistado o seu objetivo na vida de muitos de nós; ofender a Deus, nos privando de Sua comunhão e nos afastando do Seu eterno propósito.

Vocês já observaram como o clima entre as pessoas muda nesta época de Copa? Já viram como os semblantes das pessoas são transformados? Todavia, o que mais me assusta e me entristece é ver cristãos e mais cristãos extremamente envolvidos com esta competição mundana. Não há diferença entre a Igreja e o mundo quando se trata de futebol. Veste-se a mesma camisa. Está-se debaixo da mesma autoridade. A empolgação é a mesma. A insanidade é a mesma. Só falta a Igreja abrir exceção em dia de jogo do Brasil para a embriaguês. O mundo pára. A Igreja também. O mundo deixa de trabalhar. A Igreja deixa de cultuar a Deus. Vale tudo nesta época. Se vocês acham que estou sendo radical, estou sendo mesmo. Amados, esse é um torneio do mundo, é a “Copa do Mundo”, assim como todas as outras competições que não levam este nome, mas também o são. Torno a repetir: não há nada de errado com o esporte em si, mas as forças das trevas se utilizam dos esportes para escravizarem inúmeros filhos de Deus. Quantos cristãos deixam de ir às reuniões da Igreja, deixam de cultuar ao único Deus Verdadeiro por causa do futebol? Quantos irmãos até vão para as reuniões, mas o seu coração está nos seus ídolos? Quantos irmãos, membros do Corpo de Cristo, se agridem verbalmente e até fisicamente? Quantos de nós temos amado esses deuses!?

Veja o que Oséias 9.10 diz:



“Achei a Israel como uvas no deserto, vi a vossos pais como as primícias da figueira nova; mas eles foram para Baal-Peor, e se consagraram à vergonhosa idolatria, e se tornaram abomináveis como aquilo que amaram.”



O Senhor Jesus nos libertou deste século mau, nos tirou da sequidão de morte espiritual em que nos encontrávamos, nos deu vida e nos elevou às regiões celestes, nos introduziu n’Ele mesmo, nos acrescentou ao Seu próprio Corpo, e o que nós estamos fazendo? Estamos nos consagrando às nossas idolatrias? Estamos amando os nossos ídolos? Estaríamos nós nos tornando abomináveis diante do nosso Deus? Se algo é abominável ao Senhor, deve ser abominável a nós também. Afinal, nós temos hoje a Sua natureza, ou não temos? A Palavra do Senhor nos revela em Tiago 4.4 que “a amizade do mundo é inimiga de Deus”. Porque ainda insistimos em manter este relacionamento?

1João 2.15 diz:



“Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele”



Não podemos amar o mundo e nem as coisas que há no mundo. Precisamos crer incondicionalmente na Palavra do Senhor, ou estaremos perdidos. Nós nos tornamos naquilo que amamos. É isto que o Senhor nos fala em Oséias. Vocês já perceberam que as pessoas que tem o futebol como um ídolo acabam marcados por isto? Esta passa a ser uma marca em sua vida. Os outros olham para esta pessoa e logo vêem a figura de um torcedor. Eles a identificam por isto. Irmãos, nós temos que ser identificados por refletirmos o caráter de Cristo somente, e mais nada. Se estivermos sendo identificados por qualquer outra coisa, precisamos nos arrepender e nos colocar diante do nosso Senhor para que Ele possa imprimir o Seu caráter em nós. Este é um assunto muito sério. Não podemos negligenciá-lo. Esta é uma sutil armadilha de Satanás para nos enganar e fazer com que nós o sirvamos e pensemos que estamos servindo a Deus.

Observe que três aspectos importantíssimos estão intimamente relacionados ao futebol moderno: o comércio, a política e a religião. Queridos e amados irmãos, estes aspectos são partes fundamentais da estrutura que está sendo construída para sustentar a plataforma do governo do anticristo. O comércio talvez seja o mais visível destes, e isto ninguém pode negar. Porque este é o fator principal que movimenta o futebol mundial. As negociações realizadas nesta área são exorbitantes. Tudo isso o é para fortalecer ainda mais esta parte desse pilar de sustentação. Como não podia ser diferente, a política nunca ficaria de fora desta empreitada. Política e comércio são duas áreas indissociáveis. Elas andam juntas; uma apoiando a outra, uma patrocinando a outra, uma sustentando a outra. Vocês já perceberam quanta diplomacia existe no futebol? Nações que vivem em conflito esquecem as suas diferenças naquele momento. O ódio dá lugar a uma falsa paz. É aqui que podemos observar o caráter ecumênico implícito no comportamento diplomático das equipes e de todas as delegações que participam dessa competição. É certo que a religião tem que estar presente! No tenso e interesseiro relacionamento entre a política e o comércio tem que haver algo que venha trazer certa paz: a religião é claro! Satanás não irá desistir enquanto não unificar as religiões. Já perceberam que durante esse torneio há um espírito de concessão que paira em todos os seus aspectos? Tudo pode entre os seus pobres escravos! Todos os tipos de seitas e religiões estão juntos buscando um único propósito: colaborar para a vinda do anticristo no disfarce do engano da conquista de uma falsa vitória. Esta é apenas uma das faces da nova ordem mundial na corrida pela falsa paz promovida principalmente pela unificação das religiões com o expresso objetivo de controlar toda a humanidade. Assim como muitas tecnologias que já foram e que estão sendo criadas, o futebol é um dos meios para se alcançar esse objetivo. Que o Senhor nos livre de tudo isso!

Quero concluir dizendo que há alguns anos, quando o Senhor Jesus me concedeu o privilégio de compreender com mais clareza a Sua Palavra, em um curso de liderança na denominação da qual fazia parte, ouvi do irmão Luiz Fontes que havia ainda muito paganismo na Igreja. Confesso que não entendi direito naquele momento, mas aquilo de certa forma me chocou. Hoje posso entender melhor o que ele disse. Comecei então a observar em minha própria vida quantos templos pagãos ainda estavam erguidos e que ainda não tinham sido derrubados. Dentre outros, eu era um amante do futebol assim como o fui do álcool antes de ser resgatado pelo Senhor. Mas Deus que é riquíssimo em misericórdia libertou-me tanto de um quanto do outro, e continua e libertar-me de tudo o que se opõe a Ele em minha vida. Oro para que os meus irmãos que mesmo sem saber ou sem querer admitir, sejam completamente libertos de tudo o que tem servido de barreira entre eles e Deus.

O apóstolo Paulo nos diz em 1 Coríntios 10.14:



“Portanto, meus amados, fugi da idolatria.”



Que a Igreja do Senhor Jesus possa fugir desta idolatria! Que os olhos da Igreja se voltem unicamente para o Senhor, pois a Sua vinda está mais próxima do que imaginamos. Se realmente imaginamos. Porque às vezes tenho a sensação de que não queremos que o Senhor Jesus volte.

Senhor, obrigado por Sua misericórdia! Que o Senhor abra os olhos de Sua Igreja. Que a Sua Palavra seja o nosso único alimento! Que o Senhor Jesus nos ganhe completamente!



George S. M. Falcão


http://www.celebrandodeus.com.br/
DEUS lhes abençõem.