segunda-feira, 20 de julho de 2009

CRISTO,NOSSO TESOURO

Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. João 3:3

No jardim do Éden havia duas árvores: a árvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal. O homem comeu o fruto da última, perdendo assim o direito à primeira. Deus perguntou-lhe mais: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? Ao que respondeu o homem: A mulher que me deste por companheira deu-me a árvore, e eu comi. Gênesis 3:11-12.

Pela sua desobediência, Adão perdeu a comunhão com Deus, isto é, morreu espiritualmente. Por ser o cabeça de toda a raça humana, ele transmitiu para cada descendente este estado de morte. Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram. Romanos 5:12

Neste versículo encontramos o relato humilhante da fraqueza do homem e sua sujeição ao domínio da morte. O homem, por si só, jamais poderá vencer esta lei; não pode desarmar a morte do seu aguilhão terrível. Não pode, por sua própria energia, pôr de lado a sentença de morte. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Romanos 7:24.

Portanto, cada um de nós que nasce neste mundo nasce espiritualmente em profundas trevas; esta vida está caracterizada pelo pecado e por uma falta absoluta de tudo quanto pode ter comunhão com Deus. Isso ficou provado quando o nosso Senhor Jesus veio ao mundo. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens; a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. João 1:4-5.

O homem nem sequer podia compreender esta luz, pois o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus. A vida não pode ter comunhão com as trevas. O homem tem que se encontrar com Deus num terreno absolutamente novo, e sobre um princípio, a saber, a fé; e esta fé habilita-o a compreender o caráter de Deus como o doador de uma nova vida, vida esta para além do poder da morte. Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida. João 5:24.

Não é a fé do homem natural que o coloca em um relacionamento com Deus. Visto que o homem não é salvo pela fé, e sim pela graça, a salvação tem que despir o homem de todas as suas vãs pretensões. Porque pela graça sois salvos, mediante
a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Efésios 2:8.

Existe um ponto em que Deus e o homem têm de encontrar-se. Deus, descendo em graça às profundezas do coração humano, vem até a nossa condição de pecador e faz provisão de um remédio apropriado; tudo está eternamente liquidado. Então Jesus, depois de ter tomado o vinagre, disse: está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. João 19:30.

É preciso ter uma nova vida e não uma semelhança daquela que possui o homem natural, mas uma existência completamente distinta, uma vida "de cima". "Aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus". Com o seu poder purificador, a Palavra de Deus, aplicada pelo Espírito Santo, produzirá uma nova vida no homem.

Quando a nossa consciência é atingida pela Palavra, tudo "cai por terra. "A revelação daquilo que somos e a revelação do que Deus é, são suficientes para nos levar ao fim de nós mesmos. Tudo que precisamos saber é que Deus falou. Quem tem ouvidos, ouça o que o espírito diz às igrejas. Apocalipse 3:6.

Um filho de Deus é nascido de Deus. Esta nova vida só pode ser dada em virtude da elevação do Senhor Jesus na cruz, pois o homem é pecador e, como pecador, precisa morrer. Não há vida nova sem a morte do homem para o pecado. Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer. I Coríntios 15:36.

Que revelação tremenda! Que fascinante obra do Espírito Santo! O homem natural, morto em delitos e pecados, é, por obra do Espírito, substituído e o velho homem dá lugar ao novo homem. Agora é possuidor de uma nova vida, uma vida divina e, mais ainda, da própria vida eterna, sendo o Senhor Jesus a nossa vida. Se, pois, fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória. Colossenses 3:1-4.

Nisto podemos ver o que significa realmente possuir vida: é ser revestido de Cristo para compreender as coisas espirituais e manifestar em Cristo tudo que procede de Deus. Isso quer dizer que podemos ter comunhão com o próprio Deus porque somos participantes da natureza divina. Visto como o seu divino poder nos tem dado tudo o que diz respeito à vida e à piedade, pelo pleno conhecimento daquele que nos chamou por sua própria glória e virtude; pelas quais ele nos tem dado as suas preciosas e grandíssimas promessas, para que por elas vos torneis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo. II Pedro 1:3-4.

Tudo isto implica que Cristo está em nós e que temos a vida divina, e nada neste mundo
ou no porvir poderá nos tirar desta posição. Este é o verdadeiro Deus: Ele nos deu o Seu Filho. Graças a Deus, pelo seu dom inefável: Cristo em nós e nós em Cristo. Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em mim. João 15:4.

A missão do nosso Senhor Jesus Cristo, que veio do seio do Pai para revelar o que Ele realmente é, "A graça e a verdade". Isto foi o que o homem perdeu com a queda, mas "ganhou em Jesus Cristo". A verdade revela Deus como Ele é; porém, esta verdade está ligada à revelação de perfeita graça. Assim, o pecador descobre, para o seu gozo inefável, que a revelação do que Deus é, em vez de ser a sua destruição, torna-se a base da sua salvação eterna. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste. João 17:3.

A falta do conhecimento de Deus é morte, porém o conhecimento de Deus é vida. Por esta vida nos tornamos totalmente dependentes de Deus. Isto significa que todo o nosso mover vem Dele e o que nos move é o princípio de vida. O poder da vida que está em nós é que rompe com tudo aquilo que é antigo. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva. João 7:38.

A morada do Espírito Santo em nós vem determinar, pois, a nossa posição sobre a terra. Por meio do Espírito Santo, estamos unidos a um Senhor que foi rejeitado pelo mundo e que foi crucificado por ele. Mas Deus aceitou a obra de Cristo na cruz, e com base neste fato ressuscitou-O de entre os mortos e recebeu-O na glória. Vemos, porém, aquele que foi feito um pouco menor que os anjos, Jesus, coroado de glória e honra, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos. Hebreus 2:9.

O poder do Espírito Santo enche nosso coração da glória, e por ele somos transformados à imagem do Senhor. Como Deus é Espírito, deve ser adorado em espírito e em verdade. Portanto, o Espírito Santo leva-nos a adorar a Deus e a ter comunhão com Ele no espírito. Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade. Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. II Coríntios 3:17-18.

O coração de Paulo era como um espelho, pois refletia fielmente ao redor de si cada raio que recebia. E qual era o objeto que brilhava nele e refletia em todos os homens? A "glória de Deus na face de Cristo". Que tesouro era para Paulo esse conhecimento de Cristo na glória! Ele era apenas um vaso de barro que continha esse conhecimento, um vaso pobre, frágil e sem valor próprio.

Se o instrumento de Deus se fizesse notar através de brilhantes qualidades humanas, ele chamaria a atenção para si mesmo em detrimento do tesouro que deveria a conter. Os joalheiros sabem que um estojo muito luxuoso tende a eclipsar a jóia contida nele. Eles expõem suas mais belas jóias sobre um simples veludo negro. Do mesmo modo, o vaso de barro – Paulo – estava atribulado, perplexo, perseguido, abatido, para que o tesouro – a vida de Cristo nele – fosse plenamente manifestado.

As provas de um homem em Cristo servem para remover dele qualquer brilho pessoal, a fim de que na sua vida resplandeça apenas a luz de Jesus, o Filho de Deus. Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. II Coríntios 4:7
http://www.palavradacruz.com.br/estudos.asp?id=115&menu=Novo%20Nascimento/Evangelismo&id2=350

A DEUS toda a Honra e Glória.
Maranata,vem Senhor Jesus Cristo.
Por:Pr Humberto Xavier Rodrigues