quinta-feira, 15 de outubro de 2009

SOLDADO,ATLETA E LAVRADOR.

Paulo quando escreve a sua segunda carta a Timóteo, o estimula e a nós, a corrermos com perseverança a carreira cristã que nos está proposta. Em I Coríntios no capítulo 9, no verso 24 diz: "Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis". Paulo não está dizendo neste verso acerca da salvação, porque se o prêmio for a salvação, já não é pela graça, mas pelas obras. E sabemos que ninguém será justificado pelas obras, mas pela fé em Jesus Cristo (Rom. 3.24). Paulo aqui está dizendo sobre o prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo (Fil. 3.14).

Por isso Paulo nesta carta fala a Timóteo: "Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se um atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos" II Timóteo 2.3-6. A vida cristã começa com um novo nascimento, como uma criancinha em Cristo. Mas em Israel, todo homem acima de 30 anos deveria estar preparado para a guerra, e assim é com os filhos de Deus, porque sabemos que a nossa luta não é contra a carne, nem contra o sangue, mas sim contra principados e potestades, nos lugares celestiais (Ef. 6.12). O Senhor nos alista não porque somos um povo de guerra, um povo de conquistas, mas porque temos um inimigo que não cessa em sua luta, para não alcançarmos aquilo que fomos alcançados por Cristo (Fil. 3.12-13).

Como diz João em sua primeira carta, o jovem é forte, e vence o maligno, porque a Palavra de Deus está em vós (I Jo. 2.14). O jovem já não é mais uma criancinha, mas mesmo jovem não tem força em si mesmo para estas batalhas, por isso deve se fortalecer no Senhor e na força do seu poder (Ef. 6.10). Isto porque não temos escolha. A vida cristã não é seguida apenas de tempos de paz, mas principalmente de tempos de guerra (Ecl. 3.1 e 8b). E para este tempo temos que estar preparados, temos que estar exercitados e tomados de toda armadura de Deus (Ef. 3.13). Não uma armadura pessoal, porque a armadura de Deus não cabe em uma só pessoa, em um só membro do Corpo, mas em toda a Igreja.

Sim, porque cada cristão é alistado pelo Senhor para a guerra. Esta guerra não são as nossas pessoais, mas as guerras de Deus, por isso fomos alistados por Ele, para as guerras dEle. Estas guerras são do novo homem, do homem celestial, cuja cabeça está nos céus, e os pés aqui na terra. São as guerras contra a Igreja, contra Cristo e a futura esposa de Cristo. Isto é o que Satanás faz desde o princípio, porque ele sempre vê que pela fraqueza da mulher é que ele pode ganhar campo. Assim foi no Éden, e assim é também agora com a Igreja. Adão não foi enganado, mas Eva sim, e assim é também até hoje (I Tim. 2.14). No Éden, Adão não cuidou da sua mulher, mas Cristo cuida, a ensina e a alimenta no seu jardim, e não deixará que ela caia nas tentações do diabo.

Mas não temos só tempos de guerras, mas também temos tempos de paz. Mas os tempos de paz não são para que fiquemos relaxados. Como Paulo diz a Timóteo, não seremos coroados, ou participantes do reino de Cristo, se não corrermos legitimamente. Mesmo que não estejamos em guerra, temos que sempre estar nos exercitando; estar sempre correndo e exercitando para que quando vier a luta, não estejamos com os nossos sentidos atrofiados.

Todo atleta precisa estar sempre preparado, para que quando vier a competição, ele esteja bem fisicamente, para que não seja surpreendido pelo adversário. Assim também é com a carreira cristã, mas no sentido espiritual. Temos que estar sempre preparados, para que quando vier os tempos de guerra, não estejamos atrofiados espiritualmente e sejamos surpreendidos pelo inimigo em suas sutilezas. Porque como diz a Palavra, o inimigo se afasta até o tempo oportuno (Lc. 4.13). E qual é o tempo mais oportuno para ele? Quando estamos relaxados, quando estamos envolvidos com outras coisas que não seja as coisas do Senhor; em como havemos de agradar aquele que nos alistou para a guerra.

Se não estamos em guerra, temos que estar nos exercitando, nos exercitando na piedade que para tudo é proveitosa (I Tim. 4.8). Piedade é conhecimento de Cristo, é conhecê-lo em todos os nossos caminhos. Mas não somente um soldado e um atleta, mas também um lavrador. O povo de Deus sempre foi soldado, atleta e lavrador da terra. Nós não somos guerreiros por natureza, mas lavradores. A Igreja peleja as guerras de Deus nas regiões celestiais, mas tem uma função efetiva aqui na terra, o de semear a boa semente, o de lançar a semente do evangelho na terra. Sim, porque a Palavra de Deus é pão para quem come e semente para o que semeia (Isa. 55.10).

Lavradores exercitados na guerra, para quando o inimigo vier, estejam sujeitos a Deus, e preparados para resistir ao diabo. Por isso a Palavra tem o sentido de pão que é para alimento, mas também como semente para ser semeada. Se comermos ou deixarmos a semente guardada nunca teremos uma colheita. Não há como gozar depois dos frutos se não fizermos uma semeadura. Por isso o Senhor diz: "Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará... Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas" Ecl. 11.4 e 6.

O que é observar o vento, ou olhar para as nuvens? É ir atrás de doutrinas falsas e estranhas, e de homens que fazem grandes reboliços, mas que não tem um pingo sequer de água pura: "Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente... Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas" Efésios 4.14 e Judas 1.12.

O que Paulo fala a Timóteo e a nós é que todos nós somos lavradores por natureza, mas como temos um inimigo em comum, o Senhor tem também que nos alistar para a guerra. As crianças não são alistadas, mas os jovens e os adultos sim. Mas se não estivermos lutando, temos que estar nos exercitando na piedade, e também lavrando a terra, semeando a boa semente para que depois possamos nos alegrar junto com Ele na ceifa. Por isso todo cristão é um soldado, um atleta e um lavrador; isto é sem exceção. Se não estivermos fazendo uma coisa, temos que estar fazendo outra, do contrário estaremos negligenciando as coisas do Senhor, e maldito todo aquele que fizer a obra do Senhor negligentemente (Jer. 48.10).

Porque se não estamos ajuntando com o Senhor, estamos espalhando, e se não estivermos correndo com perseverança, estaremos negligenciando e até negando o Senhor. Se perseverarmos, com Ele reinaremos; se o negarmos, Ele nos negará. Se formos infiéis, Ele permanece fiel, porque não pode negar-se a si mesmo.

No Senhor não há sim e não, mas sim sim, e não não, o que passa disso é de procedência maligna. Mas em todas as suas promessas, está em Cristo o sim, e por Ele o amém, para a glória de Deus Pai.

www.vida.emcristo.nom.br
A DEUS,toda a honra e glória.

domingo, 4 de outubro de 2009

UMA ÚNICA FAMÍLIA EM UMA FAMÍLIA ÚNICA.

Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus. Colossenses 1:18-19.
UNIDOS EM UM SÓ CORPO. Sabemos pela revelação das Escrituras Sagradas que fomos criados à imagem e semelhança do Criador com o único objetivo de cumprir a Sua vontade. A vontade de Deus é a de que todos pertençam à Sua família. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Gênesis 1:27. A família, no sentido humano, em principio, significa um grupo de pessoas unidas por laços de sangue, a grosso modo.
Porém, o projeto de Deus é infinitamente maior do que isso. Segundo Deus, a família é composta por uma união, acima de tudo, espiritual, pois, fomos criados à Sua imagem e semelhança. E sabemos que Deus é Espírito. Quando usou a expressão “uma só carne” para a união do casal, Ele quis dizer união eterna, que não se separa sem sangramento e dor. Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea. Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Gênesis 2:18 e 24.
Mais à frente, Paulo escrevendo a carta aos efésios nos ensina: Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Efésios 5:29-30.
Segundo o plano perfeito de Deus, após a criação do homem e da mulher, iniciar-se-ia toda descendência de adoradores, em uma única família, que sujeitariam toda a terra. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a. Gênesis 1:28a.
Mas o pecado da desobediência de Adão, nosso pai terreno, culminou com a separação da família de Deus. Isaías 59:2. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.
E então, a partir da entrada do pecado no mundo, Deus colocou em prática o plano de resgate, para unir novamente a Sua família, para salvar o homem da morte (separação) eterna.
UNIDADE DA FAMÍLIA. Contudo, havia um preço a ser pago para a salvação do homem perdido. Romanos 5:17-19. Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo. Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos.
E o preço da nossa reconciliação com o Pai, foi o sangue derramado na Cruz do Calvário por Nosso Senhor Jesus Cristo, que: Antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Filipenses 2:7-8.
Então, pela obediência de Cristo, pela fé, fomos unidos com Ele na semelhança da sua morte, como disse Paulo aos romanos: Sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; porquanto quem morreu está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos. Romanos 6:6-8.
É essa obra que nos levou à comunhão com Deus. Salvação eterna em lugar da morte eterna. Pela fé, podemos confessar hoje que pela superabundante graça de Deus, como diz em Gálatas 2:20: A vida de Cristo é que nos deu vida. E que esse viver que agora vivo na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.
A família de Deus é única. Todo aquele que crê em Cristo e o tem como Salvador e Senhor de sua vida, passa a fazer parte da família de Deus, e assim como está escrito: Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. João 1:11-13.
O LEÃO RUGINDO AO DERREDOR. Todavia, o plano de satanás é outro, ele quer que passemos a eternidade no inferno, mortos para Deus. E assim, ele coloca sempre o seu plano em ação para nos distanciar do Pai. E o que mais tem prazer em atacar é a família. Mas Pedro nos alerta: Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé. 1 Pedro 5:8-9a.
Todo aquele que é nascido de Deus tem a garantia da promessa em seu favor, conforme lemos em 1 João 5:18. Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca.
Mas precisamos estar sempre alertas contra as ciladas do inimigo. E a nossa melhor arma contra as tentações do mundo, é a comunhão com Deus e com o Nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus. 1 Coríntios 10:31.
Nossa vida, nossos exemplos, nossas atitudes, falam mais alto do que nossa voz. Temos uma missão dentro de nossas famílias. Aquele que é nascido de novo, somente está neste mundo por um único motivo: Pregar o evangelho. E o primeiro lugar onde devemos “pregar”, usando todas as formas possíveis, é dentro de nossos lares. O homem é o sacerdote do lar. A mulher é a sua auxiliadora idônea, e os filhos são os futuros pais de famílias. Quando deixamos alguém de nossa família ser devorado pelo diabo, estamos deixando de cumprir o propósito de Deus neste mundo, que é o de que todos sejam salvos e tenham a vida eterna.

A Palavra de Deus nos incumbiu da tarefa mais importante no mundo: ganhar almas para a Sua família a começar pela nossa. Assim dizendo: Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Deuteronômio 6:5-7.
CERTEZA DA SALVAÇÃO. O maior legado que podemos deixar para os nossos, é o testemunho de obediência a Deus, a exemplo de Jesus. Deus nos dá a certeza da salvação por meio das Escrituras, quando nos ensina, de modo prático, o seguinte mandamento com promessa: Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Romanos 10:9-10.
Todo aquele que tem Jesus como Senhor, vive de acordo com o senhorio de Cristo, que é o único pela qual importa que sejamos salvos. E como nos ensina o texto de Efésios 4:2-5, uma vez salvos, viveremos com humildade, mansidão, longanimidade e, principalmente suportando uns aos outros em amor, preservando a unidade do Espírito no vínculo da paz. Onde há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.
O VIVER EM SANTIDADE. E a partir da experiência de fé de cada um acerca da salvação, temos o privilégio de buscar um viver santo para o nosso privilégio de buscar um viver santo para o nosso próprio deleite. Ao contrário do que o mundo fala, viver em santidade, em obediência, não é nenhum sacrifício ou peso para o cristão, mas, um descanso, uma entrega que nos traz esperança. Esperança de que a vontade de Deus, que é boa, agradável e perfeita, se manifeste em nossas vidas e tenhamos tranqüilidade, apesar das tribulações e das circunstancias adversas. Você quer que sua família faça parte da família de Deus? A Palavra diz: Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. Atos 16:31.
Então, tome posse da salvação e do perdão que lhe foi imputado por Cristo Jesus, o qual: Vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos; tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu- o inteiramente, encravando-o na cruz; Colossenses 2:13b. e 14.
ESTOU CRUCIFICADO COM CRISTO; LOGO JÁ NÃO SOU EU QUEM VIVE, MAS CRISTO VIVE EM MIM. AMÉM.

Mario Rocha.
A DEUS,toda a Honra e Glória.