segunda-feira, 24 de agosto de 2009

FRUTOS DE ARREPENDIMENTO

Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento. Mateus 3:8.

O contexto que origina esta afirmação de João Batista tinha a presença dos fariseus e saduceus que "vinham ao seu batismo" conforme narrado no versículo 7 apenas para conhecer este novo profeta , porém, não estavam muito interessados em mudança de vida.

Vamos analisar a palavra produzi: Era final do curso de teologia e meu colega de turma, que morava em uma cidade pequena do interior trouxe a monografia para o professor tecer comentários. Ao verificar os termos eruditos do trabalho, o mestre alfinetou: "Parabéns, vejo que o curso está melhorando seu vocabulário grandemente." No corredor, não me contive e alertei: "Peça ao profissional em monografia para usar uma linguagem mais adaptada ao seu palavreado." Ficou evidente que a obra apresentada indicava que era produção alheia.

Segundo Champlin "A principal idéia simbólica do batismo cristão é a identificação com Cristo, nas realidades espirituais de sua morte e ressurreição". A passagem da morte espiritual para uma vida nova implica em frutificação correspondente com a vida herdada de Cristo. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos a imagem do celestial. 1 Coríntios 15:49. Sabemos bem qual foi a produção má herdada do terreno (Adão) e agora a vida de Cristo é a propulsão para a frutificação do homem novo para que a imagem Dele reflita em nossa volta . Jesus foi categórico ao afirmar: Assim, toda árvore boa produz bons frutos, e toda árvore má produz frutos maus. Mateus 7:7. No grego, a palavra produzir tem o sentido de "dar", ou seja, dar frutos conforme seu cerne. Qual a produção que temos tido perante Deus? A produção do Chupim sempre será um pássaro preto que se alimenta do milho das fezes do boi. Mesmo que coloque seus ovos no ninho do Tico-Tico, não terá uma prole diferente. Quando João usou a palavra "produzi" buscava esclarecer os céticos que se amoldar às práticas religiosas como forma de fugir da ira vindoura não os faria produzir frutos espirituais. O nosso envolvimento na religião trará uma produção movida pelo medo e pela geração de frutos da força da carne impregnada da hipocrisia do velho homem, que no seu estado de necrosado aprendem sempre, mas nunca podem chegam ao conhecimento da verdade, 2 Timóteo 2:7. É uma luta inglória de viver para sua própria glória, que pode gerar estafa e afastamento ou o obscurecimento do entendimento levando-nos a viver uma vida alheia a Deus. Efésios 4:18. Não podemos produzir boas coisas nascidos de uma semente pecaminosa herdada no Jardim do Éden.

Agora verificaremos a palavra frutos: Nossa raça tem um problema com frutos desde o paraíso. Após comer do fruto errado, Deus disse a Adão: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses? Gênesis 3:11. Logo se apresenta um fruto da desobediência de Adão: passa a culpa para Eva querendo assim alegar inocência e a Eva seguindo o marido, lança o fardo nas costas da serpente e desde então o homem vive a procura de culpados para seus pecados. Na prole do primeiro casal temos Caim errando o alvo e trazendo o fruto da terra gerado pelo seu esforço. Quis ser agradável a Deus e, por inveja, causou a morte de 1/4 da humanidade. Não há necessidade de pedir ao limoeiro para produzir limão, é próprio de sua natureza. Assim também acontece com o ser humano. Vejamos alguns frutos da impiedade: Gálatas 5:19 - Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia. Aqui estão agrupados pecados na área sexual: prostituição diz respeito ao comércio do sexo. Desta palavra no grego porneia, temos em nossa língua a palavra pornografia hoje muito difundida pela internet. Impureza se refere a aberrações das questões sexuais, no ato de forma doentia subvertendo o prazer sexual com práticas anormais, como homossexualidade. Lascívia tem a conotação de voluntariedade pervertida e exageros para obter prazer sexual.

Verso 20 - idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, heresias. Temos agora frutos relativos a superstição e falsa espiritualidade: Idolatria: o desejo do homem de substituir Deus por imagens ou seu ego e também podemos acrescentar o amor ao dinheiro, que é idolatria, que nos torna servos da ganância. Feitiçarias: é a prática de mágica, bruxarias e encantamentos, segundo Apocalipse 21:8, o destino dos idólatras e dos feiticeiros é o lago de fogo e enxofre. Inimizades: ou seja, ódio contra os homens e contra Deus. As inimizades formam feridas que não se cicatrizam. Temos no futebol algumas rixas que perduram por décadas. Este sentimento é oposto ao amor, pois sempre busca o mal para o ser odiado. Porfias: ou desavenças, uma atitude mental hostil, que cria problemas entre as pessoas e é movida por ambição. Ciúmes: ou invejas, é o sentimento que deseja que o próximo não seja próspero. É diferente da ganância, que é desejar o que o outro possui. Iras: ou raivas é um temperamento irritadiço. Em Provérbios 22:24 somos exortados a não andar com o iracundo. Esta maneira de agir é pertinente aos que parecem sempre estar de mal com a vida e que causam facções no seio da igreja. Discórdias: é a manifestação do egoísmo, trazendo partidarismo. Em Provérbios 24:21 temos o alerta para que não se juntemos aos revoltos que buscam mudanças. Heresias: podemos entender este termo como "espírito faccioso", buscando amparo em doutrinas não relevantes ou embasadas em conjecturas, causando um mal estar e gerando descontentamento e rachas no corpo.

Verso 21 - invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acercas das quais vos declaro, como já vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus. Temos aqui um grupo de pecados de excessos. Invejas: esta palavra está no plural, pois denota várias modalidades de desejos invejosos. É um estado de descontentamento com o que possui ou com o que se é. Segundo Adam Clarke "É a dor sentida e a malignidade concebida diante da felicidade alheia. É a paixão mais vil e a menos passível de cura, dentre todas quantas desgraçam ou degradam a alma caída". Bebedices: o termo significa bebida alcoólica e alcoolismo, causado pelo uso excessivo de bebidas. A forma plural é usada para dar a conotação de repetição, pode conduzir a outros pecados, pois removem do indivíduo as inibições naturais. Glutonarias: Esta palavra era usada para indicar um cortejo festivo em honra ao deus pagão do vinho Dionísio. Era muita comida, bebida e orgias sexuais. O conceito de "liberdade" era identificado como direito de participar de tais festividades. Hoje percebemos esta propalada liberdade dando vazão a práticas mundanas e impeditivas de uma vida santa. E coisas semelhantes a estas, acercas das quais vos declaro, como já vos disse, que os que praticam tais coisas não herdarão o Reino de Deus. Aqui Paulo está alertando novamente sobre estes vícios que são próprios de uma vida distante da santidade de Cristo e que conduzirá o praticante voluntário a não herdar a vida eterna.

Veremos o significado neste texto de dignos de arrependimento: A palavra dignos significa apropriado ou que engrandece. Portanto, os frutos de uma pessoa que passou pela morte e ressurreição em Cristo serão plenamente compatíveis com a raiz de um Deus amoroso e santo e que espelharão uma mudança de vida. Leiamos Lucas 6:43: Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto. Nossa raiz de malignidade foi extirpada na morte e, enxertada em Cristo, renasce para uma frutificação digna de reconhecimento da obra graciosa de Deus em favor de quem só produzia espinhos e azedava os relacionamentos pela arrogância de querer ser melhor, maior e cheio de razão. Cheios de frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus. Filipenses 1:11. Há um processo de santificação em curso, não há mais voluntariedade em servir nossos interesses, o foco é viver de maneira que dignifica o Salvador. Não é preciso o esforço, é a naturalidade da ação poderosa da vida genuína do filho com as características do Pai.

O arrependimento autêntico é acompanhado de mudança de vida em aspectos fundamentais como agradecimento, generosidade, misericórdia, desapego do amor ao dinheiro, perdão e descanso. Gálatas 5:22. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Quem poderá genuinamente produzir estes frutos sem que a raiz tenha sido mudada? A vida nova será frutífera, pois pelo Espírito reconhece a condição de redimido, incapaz e que foi abençoado pela graça. É a condição de mendigo agradecido que agora quer viver de forma a agradar aquele que tudo fez em seu favor. É a profunda convicção de estar talhado para o fracasso e a morte eterna e ser graciosamente tocado por um Salvador terno e misericordioso. É um estado de alegria por saber que nada somos e mesmo assim fomos alvo de tão grande livramento. Salmos 103:10: Não nos tratou segundo nossos pecados, nem nos retribuiu segundo nossas iniqüidades. Nesta permuta nós entramos com a pecaminosidade e recebemos a santidade e um relacionamento de Pai para filho.

Esta semana perguntei a um crente qual era seu testemunho, ele respondeu: "Eu bebia e isto me levou e muitas confusões e infelicidades e há dez anos depois que fui para igreja estou livre da bebida." Com muito carinho, lhe respondi que livrar da bebida os A.A. podem realizar esta obra, que é muito difícil. Porém, ser liberto da velha vida, só Cristo fez na nossa atração, morte e ressurreição no seu corpo.

Frutos dignos de arrependimento só serão verdadeiros quando o machado divino realiza sua obra e assim estamos liberados para ... O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas sábio é. Provérbios 11:30. É a sinergia em ação, o imperativo divino sendo executado em nós, e os frutos serão muitos Chupins transformados em Tico-Tico. http://www.elocristao.com.br/ecveart.aspx?idArtigo=1266/Valdir Flora Batista.
A DEUS,toda a Honra e Glória.

Nenhum comentário: