segunda-feira, 22 de junho de 2009

O SEGREDO DO SENHOR.

O segredo do SENHOR é para os que o temem; e ele lhes fará saber o seu concerto. Salmos 25:14.

Quando sabemos que alguém se tornou nosso amigo? É porque ele nos conta suas tristezas secretas? Não; porque nos fala de suas alegrias íntimas. Muitas pessoas podem confidenciar-nos suas tristezas, mas, a marca definitiva da intimidade é a confidência das suas alegrias a nós. Alguma vez deixamos Deus nos contar alguma de suas alegrias, ou será que ficamos nós contando nossos segredos, falando incessantemente e não lhe permitimos uma única oportunidade para conversar conosco? No início de nossa vida cristã, temos sempre muitos pedidos para fazer a Deus; depois descobrimos que Deus quer levar-nos a um relacionamento com ele e também quer que tomemos consciência e posse dos seus objetivos. Estaremos tão imbuídos do conceito de oração evidenciado por Jesus Cristo - "Faça-se a tua vontade" - a ponto de captar os segredos de Deus para nós também? Não são tanto as grandes bênçãos que tornam Deus mais precioso para nós, mas, sim, os pequeninos detalhes, porque estes demonstram a sua maravilhosa intimidade para conosco; e ele conhece todos os detalhes de nossa vida.

"... Ele o instruirá no caminho que deve escolher", Sal.25:12. A princípio, queremos ter consciência de estarmos sendo guiados por Deus; depois, à medida que prosseguimos, tomamos uma consciência mais constante da pessoa de Deus, que não precisamos perguntar qual é a vontade dele, porque nunca nos ocorre a idéia de optar por uma outra coisa. Se somos salvos e santificados, Deus nos guia até através das nossas escolhas normais e se escolhermos algo que ele não quer, ele nos dá um toque e teremos de atendê-lo. Sempre que houver dúvida, pare imediatamente. Não procure racionalizar: "Por que será que não devo?" Deus nos instrui naquilo que escolhemos, ou seja, ele orienta nosso bom-senso e assim não ficamos sempre com vontade de interromper a atuação do Espírito com a pergunta: "E agora, Senhor, qual é a tua vontade?" Graça e paz!

Pr Claudio Morandi
Bacharel em teologia pela faculdade evangélica do Brasil (ISBL)
Pastor da Igreja Batista em São Jose do Rio Preto - SP
Email: claudioamorandi@hotmail.com

A Deus toda a Honra e Glória.
Maranata,vem Senhror Jesus!

O AMOR A VERDADE.

E com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos. 2 Tessalonicenses 2:10.

Muitas pessoas andam equivocadas quanto a esse particular, confundindo o desejo intenso de adquirir conhecimento com o amor espiritual à verdade. Entretanto, muito depende da finalidade ou alvo que temos, quando examinamos a Palavra de Deus. Se tratamos da simples questão de nos familiarizarmos com o seu conteúdo, de nos tornarmos melhor versados quanto a seus detalhes, é bem provável que o canteiro de nossas almas permanecerá na esterilidade; porém, se com desejo regado por oração a examinamos para ser corrigidos, para sermos sondados pelo Espírito Santo, para amoldarmos os nossos corações a Seus santos requisitos, então podemos esperar a bênção divina. Também se faz necessário respondermos algumas questões pertinentes: Estou adquirindo ódio maior contra o pecado, e estou sendo praticamente libertado de seu poder e de sua poluição? Estou obtendo maior intimidade com Deus e com o Seu Cristo? Minha vida de oração está se tornando mais saudável? Minha obediência é mais completa e mais jubilosa? Tenho-me separado mais do mundo, em meus afetos e em minha conduta? Estou aprendendo a fazer uso correto e proveitoso das promessas de Deus, deleitando-me dessa maneira em Sua pessoa, para que a sua alegria seja a minha força diária? Se pudermos responder sim as essas perguntas, significa que amamos a Sua Palavra. Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia! Salmos 119:97.

Ninguém poderá ler as Escrituras, com qualquer medida de atenção, sem descobrir o quanto elas têm a dizer sobre o amor; portanto, compete, a cada um de nós, averiguar, cuidadosamente e sob oração, se essa virtude se encontra em nós em estado rígido e se está sendo corretamente exercida. Em primeira Corintios 13, o Espírito Santo diz-nos que embora um crente professo possa falar fluente e eloqüentemente sobre as realidades divinas, se não tiver amor, será como o metal, o qual, embora faça ruído ao ser tangido, não tem vida alguma. Que embora um crente profetize e compreenda todos os mistérios e possua todo o conhecimento, e ainda que a sua fé seja tão potente ao ponto de realizar milagres, contudo, se lhe faltar o amor, espiritualmente será sem valor. Embora um crente seja benévolo e dê todas as suas possessões materiais para sustento dos pobres, e ainda que entregue seu corpo ao martírio, mas, se lhe faltar o amor, isso não lhe será de qualquer proveito. Quão imenso é o valor aqui conferido ao amor; e quão essencial para mim é certificar-me de que o possuo! 1 João 2:5a. Aquele, entretanto, que guarda a sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus.

O amor por aqueles a quem o Senhor remiu é uma evidência segura de que possuímos o amor espiritual e sobrenatural do próprio Senhor Jesus. Sempre que o Espírito Santo realiza um nascimento sobrenatural, fará igualmente que essa nova vida entre em exercício, e também produzirá nos corações, nas vidas e na conduta dos santos as suas graças sobrenaturais, uma das quais consiste em amarmos a todos quantos pertencem a Cristo, por amor a Cristo. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros. João 13:35.

O amor cristão é uma graça espiritual que permanece nas almas dos santos, juntamente com a fé e a esperança. Trata-se de santa disposição, insuflada neles, quando são regenerados. Não é menos que o amor de Deus derramado em seus corações pelo Espírito Santo. O amor é um princípio justo, que busca o mais alto bem do próximo. É o reverso mesmo do princípio do egoísmo e do interesse próprio, que se encontra em nós por natureza. Consiste não apenas de consideração afetuosa por todos quantos trazem a imagem de Cristo, mas também envolve o poderoso desejo de promover o bem estar dos mesmos. E não é nenhum sentimento passageiro, que facilmente se sente ofendido, porque é antes uma força dinâmica permanente, que as "muitas águas" da fria indiferença ou que os "dilúvios" da desaprovação não podem apagar e nem afogar. E embora fiquemos muito aquém do grande exemplo de amor, tem idêntica essência ao amor daquele sobre quem foi dito: Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. João 13:1b.

Tiramos verdadeiro proveito da Palavra quando descobrimos que o amor cristão é divinamente transmitido. Vamos ler em 1 João 3:14. Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; aquele que não ama permanece na morte.

O amor aos irmãos é o fruto e o efeito de um novo e sobrenatural nascimento, operado em nossas almas pelo Espírito Santo, sendo uma bendita evidência do fato de que fomos escolhidos em Cristo pelo Pai divino, antes de haver mundo. Amar a Cristo e àqueles que Lhe pertencem, faz parte congênita da natureza divina de que Ele nos tornou participantes através do Seu Santo Espírito. Esse amor aos irmãos deve ser um amor peculiar, de modo que ninguém, senão os regenerados, pode possuir, e como ninguém, além deles, pode exercer; doutro modo, o apóstolo não o teria mencionado tão particularmente. Como disse o pastor S. E. Pierce: "É de sorte tal que aqueles que não o possuem também não são regenerados". Por isso mesmo está escrito em 1 João 3:14. Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; aquele que não ama permanece na morte.

O amor aos irmãos envolve muito, muito mais do que simpatizarmos com a companhia daqueles cujo temperamento é semelhante ao nosso, daqueles cujos pontos de vista concordam com os nossos. Não é algo que pertença apenas à natureza humana, mas é antes algo espiritual e sobrenatural. O amor nos liga de coração àqueles em quem percebemos algo de Cristo. Portanto, trata-se de muito mais do que de espírito fraterno: abrange a todos em quem podemos ver a imagem do Filho de Deus. Por conseguinte trata-se de amarmos aos homens por amor a Cristo, devido aquilo que vejo de Cristo na pessoa deles. E é o Espírito Santo quem me atrai e conquista para o Cristo que habita em meus irmãos e irmãs na fé. 1 Pedro 1:22-23 e 25. Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente, pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente. A palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada.

Isso é feito não quando buscamos agradar aos nossos irmãos ou nos tornarmos simpáticos segundo a estima deles, mas quando buscamos verdadeiramente o bem deles. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. I João 5:2. E qual será o teste que verifica o grau de meu amor pessoal ao próprio Deus? Esse teste é a minha observância dos Seus mandamentos. Leiamos João 14:15. Se me amais, guardareis os meus mandamentos. Vamos ler mais um texto em João 15:10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço.

O caráter genuíno e a intensidade de meu amor a Deus não podem ser aperfeiçoados pelas minhas palavras, nem pela beleza com que entôo os Seus louvores, e, sim, pela minha obediência à Sua Palavra. E o mesmo princípio opera no caso de minhas relações com os meus irmãos na fé. Irmãos, se temos esta visão, devemos praticá-la. Vejamos a suprema exortação da Palavra de Deus em Filipenses 4:9. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco.

Se porventura exploro demoradamente as falhas de meus irmãos e irmãs, se estou andando em companhia deles mas procurando sempre a minha vontade própria e o que me agrada, então é que não os "amo". Vamos ler juntos este texto de Levítico 19:17. Não aborrecerás teu irmão no teu íntimo; mas repreenderás o teu próximo e, por causa dele, não levarás sobre ti pecado.

O amor deve ser exercido segundo os moldes divinos, e nunca às custas de deixar eu de amar a Deus; de fato, é somente quando Deus recebe o lugar que Lhe convém, em meu coração, é que o amor espiritual pode ser exercido por mim para com meus irmãos. O verdadeiro amor espiritual não consiste em procurar satisfazê-los, e, sim, de agradar a Deus e de ajudá-los. Mas só poderei ajudá-los na vereda ordenada por Deus. Mimar e afagar uns aos outros não é demonstração de amor fraternal. O amor fraternal é algo santo, e não algum sentimento carnal ou alguma indiferença frouxa acerca da senda que nos convém palmilhar. Os "mandamentos" de Deus são expressões do seu amor, bem como de sua autoridade; por isso mesmo, se os ignoramos, apesar de buscarmos ser gentilmente afeiçoados uns aos outros, isso não será "amar", sob hipótese alguma. O exercício do amor deve estar em perfeita conformidade com a verdade revelada de Deus. Veja que bela ilustração deste amor temos nas Escrituras Sagradas em 3 João 1:1. O presbítero ao amado Gaio, a quem eu amo na verdade.

Lembremo-nos de que Deus nos amou tanto que deu Seu único Filho para morrer numa cruz em nosso favor, mas naquela cruz fomos atraídos, crucificados, mortos, sepultados e ressuscitados juntamente com Ele e estamos assentados nos lugares celestiais em Cristo Jesus. Totalmente salvos! Isto é nos assegurado quando cremos em Sua Palavra. Portanto quero encerrar com este versiculo da Palavra para refletirmos: Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. 1 João 4:11. Amém.






Pr Claudio Morandi
Bacharel em teologia pela faculdade evangélica do Brasil (ISBL)
Pastor da Igreja Batista em São Jose do Rio Preto - SP
Email: claudioamorandi@hotmail.com

A Deus toda a Honra e Glória.
Maranat,vem Senhor Jesus.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

É DE GRAÇA !

É de graça!
Muitos acham um absurdo dizer que após a morte estaremos todos diante de Deus, para sermos julgados pelos atos praticados durante esta vida. A Bíblia, no entanto, é claríssima ao afirmar isto: “...aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo”. Hebreus 9:27.

Mas, ainda que você ache isso bobagem, o que você diria se estivesse hoje diante de Deus? Será que sua defesa seria: “Ah... Eu nunca matei ninguém, não roubei, ajudei aos mais necessitados, freqüentei uma igreja, e fiz muitas coisas boas”. Se esta fosse sua defesa, e em outras palavras, você estaria dizendo a Deus que, dentro do possível, considera-se uma “boa pessoa”. Porém, se você pensa isso, mais uma vez você está enganado. Ouça o que a Palavra de Deus tem a dizer a seu respeito: “Todos se extraviaram; juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só”. Romanos 3:12.

Dizermos que somos bons, ou que praticamos bons atos não nos justifica diante de Deus, ou seja, não nos isenta do pecado, com o qual todos nascemos. A Bíblia diz que não é pelo que fazemos que somos aceitos por Deus: “pelas obras da lei nenhum homem será justificado diante de Deus”. Romanos 3:20.

Você entende o que a Bíblia está afirmando? Não se baseie em sua suposta bondade, pois diante de Deus ela não vale nada. Antes, porém, reconheça sua condição de pecador, arrependa-se de seus pecados e creia que a morte e ressurreição de Jesus foram suficientes para justificá-lo diante de Deus. Cristo é o único meio pelo qual você pode ser aceito por Deus: “sendo justificados gratuitamente pela Sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus”. Romanos 3:24.

Não se fundamente no que você faz ou deixa de fazer. Receba a Cristo! A salvação que Ele oferece é de graça!
Estraido www.projetoverdade.com.br / Visite-o.
A Deus Toda a Honra e Glória!

segunda-feira, 1 de junho de 2009

SALVOS PARA UMA VIDA DE SANTIDADE.

Segui a paz com todos e a santificação sem a qual ninguém verá o Senhor. Hebreus 12:14


Ao falarmos sobre santidade, precisamos primeiramente entender que somente pode experimentar a santificação em Cristo Jesus, quem antes experimentou a salvação em Cristo Jesus. Tanto a salvação como a santificação são obras da preciosa graça de Deus em nossas vidas. Para fazermos parte da família de Deus, para sermos chamados de seus filhos, precisamos nascer de novo. Quando cremos em nossa morte e em nossa ressurreição em Cristo, ganhamos uma nova dimensão de vida. "Se alguém está em Cristo é uma nova criatura, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo". 2. Corintios 5:17. Porque cremos nessa graça maravilhosa dada pelo Pai para cada um de nós, ela mesma continua operando em nosso interior, nos chamando para buscar uma vida de santidade.

Por que está declaração é tão contundente? Por um único motivo: Deus é Santo, Santo, Santo. O caráter e a essência de Deus são de santidade. Qual foi o propósito de Deus em nos eleger em Cristo antes da fundação do mundo? "Ele nos elegeu Nele antes da fundação do mundo para sermos santos e irrepreensíveis diante dele e em amor". Efésios 1:4. Esse foi e é o seu propósito: sermos santos e irrepreensíveis diante Dele.

Na santificação, toda a trindade está envolvida. Tudo que Deus Pai fez na bendita pessoa de seu Filho tem como finalidade a nossa santificação. "E o mesmo Deus de paz vos santifique completamente. E todo o vosso espírito, alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel o que vos chama, o qual também o fará". 1 Tessalonicenses 5:23-24. Deus Filho também está envolvido nessa maravilhosa obra. "Vós maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a pela lavagem da água pela palavra." Efésios 5:25-26. Deus Espírito Santo. "... porque Deus vos escolheu desde o princípio para salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade". 2 Tessalonicenses 2:13b.

Dr. Martyn Lloyd-Jones disse: "Não conheço nada tão sublime quanto a compreensão dessa grande verdade de que as três benditas Pessoas da Trindade têm cooperado a fim de que um verme como eu pudesse ser resgatado e redimido, e fosse aperfeiçoado, para estar na presença de Deus no juízo."

O que significa a palavra santo? No velho testamento, segundo alguns estudiosos, ela significa "brilhar" como uma luz radiante, resplandecente, enquanto outros afirmam que significa "cortar, separar". Ambos os significados podem ser colocados juntos, pois os dois sentidos entram na questão da santificação. Realmente, há um corte, há uma separação, e, sim, a verdadeira santificação também envolve um resplendor. Talvez o mesmo resplendor que foi visto no rosto de Moisés, depois de estar na presença de Deus no Monte Santo. Há na santidade este tipo de resplendor, algo da glória Shekinah. Já no Novo Testamento, todas as diversas palavras trazem a idéia de separação, ser colocado à parte para Deus e seu serviço.

Atualmente, temos visto no povo chamado cristão uma negligência generalizada à santidade, um comodismo do inferno, uma total conformação ao sistema maligno desse mundo. Não existe mais nas pessoas a expressão "Maranata". Em contrapartida, a palavra nos exorta em Romanos 12:2, "Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Essa palavra é para o povo cristão, o ímpio não precisa se conformar com este mundo, pois já está arraigado a ele, mas nós fomos desarraigados dele, como diz: "O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos desarraigar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai". Galátas 1:4. Porém, podemos sim ser conformados com este mundo se não levarmos Deus e a sua Palavra a sério.

Será que Deus nos desarraigou deste mundo para vivermos conformados a ele? De modo nenhum, como dizia F. F. Bruschi, "a santificação é a conformação progressiva a imagem de Cristo aqui e agora". A maior evidência de salvação é transformação de vida, um coração quebrantado que tem nojo e uma incomodação total ao pecado. Onde não há busca de santidade, não há evidência de salvação.

A primeira batalha que todo cristão enfrenta é na área do pensamento, "assim como pensa, assim ele é". Provérbios 23:7a. Você é o que você pensa, o pensamento gera o comportamento. Charles Swindoll disse que "as ações que vão saindo de dentro de nós, são exatamente os pensamentos que foram entrando, ou seja, nós nos tornamos aquilo que pensamos". Se você quer uma vida santa, precisa preservar a sua mente. O que tem ocupado a sua mente? "A lâmpada do corpo são os olhos, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz. Se porém os teus olhos forem maus, todo teu corpo estará em trevas. Portanto se a luz que há em ti são trevas, quão grande são essas trevas". Mateus 6:22-23.

Tudo que absorvemos para dentro do coração através da janela dos sentidos determinará a qualidade da nossa mente. Podemos somente seguir dois caminhos: termos uma mente santa conformada com a vontade, com os propósitos e os desígnios de Deus, "pensando nas coisas que são lá do alto", (Colossenses 3:1) ou uma mente conformada com este mundo, que envergonha nosso testemunho como cristão.

O inimigo de nossas almas transformou a mente humana no ponto central de seu ataque. As ações mais insidiosas dirigem-se à mente, ao atingir nosso modo de pensar, ele é capaz de manter nossa vida em nível medíocre nos levando para longe da presença santa do Senhor. "No demais irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Pois não temos que lutar contra a carne e o sangue, e sim, contra os principados, contra as potestades, contra os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nas regiões celestes". Efésios 6:10-12.

Como podemos vencer essa batalha que começa na mente? Trata-se de um processo difícil, longo e exigente, mas os resultados são doces e profundos. Charles Swindoll propõe três ações para quem quer realmente derrotar a mediocridade espiritual e viver uma vida de santidade na dependência do Senhor: memorizando, personalizando e analisando a Palavra de Deus. "A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros." Colossenses 3:16ª.

Memorizar é o melhor processo de higienização mental, substituir pensamentos derrotistas e negativistas para a apropriação das mui grandes promessas do Senhor. "Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti." Salmos 119:11.

Personalisar é tomar para si a palavra, usar os pronomes eu, me, meu, para mim, sempre que estiver diante de declarações significativas.

Analisar é assumir responsabilidade, sair do estado de vítima, questionar a mente e o porquê dos pensamentos e das ações, analisando as circunstâncias, para que possamos quebrar hábitos e vivermos uma vida num plano mais elevado. "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude, se há algum louvor, seja isso que ocupe o vosso pensamento". Filipenses 4:8.

O que muda a sua história é o que você vai decidir. O alvo da vida cristã é atingir a estatura da plenitude de Cristo. Maturidade é ser parecido com Jesus. Santidade é reagir a tudo que Deus realizou por e em você por meio de Cristo. Saiba, irmão, que a soberania de Deus não anula a nossa responsabilidade. Nossa tragédia, muitas vezes, é que descansamos tanto na soberania de Deus, que nos tornamos omissos em nossa responsabilidade. Precisamos encarar o fato de que temos uma responsabilidade pessoal por nossa caminhada rumo à santidade. Podemos abandonar os hábitos pecaminosos que nos assolam se realmente desejarmos fazê-lo, ou seja, se aceitarmos nossa responsabilidade pessoal por eles.

Santos não são aqueles que nunca falham, mas os que nunca desistem. "Na vossa perseverança ganhareis as vossas almas." Lucas 21:19.

Segundo disse o autor Leonard Ravenhill, "o maior milagre que Deus pode realizar hoje é tirar um homem impuro de um mundo impuro, torná-lo santo e depois colocá-lo de volta no mundo impuro, conservando-o santo".

Que o Senhor possa abrir os olhos do nosso entendimento, para que possamos sair da mediocridade e vivermos uma vida de santidade e que o Senhor Jesus Cristo seja glorificado em nossas vidas. Amém.
Irmão Mauricio Torres.
1 Igreja Batista de Londrina - Pr.
A Deus toda a Honra e Glória.