quarta-feira, 20 de maio de 2009

A NOVA ALIANÇA.

Porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados. Mateus 26:28.

Este versículo diz que o sangue de Cristo é o sangue da Nova aliança. Este sangue é derramado especialmente para o estabelecimento da aliança. Em outras palavras, a Nova Aliança é inaugurada pelo sangue; por conseguinte, ela é digna de confiança, é segura. Por que deve a Nova Aliança iniciar-se pelo sangue? Por que ela é eficaz somente se for inaugurada com sangue? Para entender isto, precisamos remontar à história do jardim do Éden a fim de reconhecermos as exigências da Lei. Sabemos que ao ser expulso do jardim do Éden, Adão perdeu a vida e a herança, bem como a comunhão com Deus. Portanto, antes de Cristo vir ao mundo os seres humanos sofreram duas grandes perdas: a primeira, a que veio do fato de Adão haver pecado; a segunda, a oriunda de nossa incapacidade de guardar a Lei de Deus. Com a morte e o pecado dominando, estamos separados de Deus e não podemos desfrutar de sua presença. Tornamo-nos loucos e não conhecemos a Deus. Não possuímos a vida e o poder espirituais para fazer a vontade divina. Ai de nós, pois em Adão e sob a Lei não temos nada de que vangloriar-nos, exceto clamar: Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Romanos 7:24.

Será que não há jeito de solucionar os problemas do pecado e da morte? Graças a Deus podemos responder seguramente que sim! Quando Cristo foi crucificado Ele mesmo atraiu a humanidade em seu corpo lá na cruz, para nos fazer morrer para o pecado e nos dar Sua própria vida pela ressurreição. A obra da cruz em primeiro lugar foi para nos libertar do pecado e através do sangue derramado, recebemos a remissão dos nossos pecados. O plano original de Deus era dar-nos sua própria vida e todas as coisas pertencentes à piedade. Devido ao nosso pecado e a morte que dele procede, alienamo-nos de Deus, incapazes de obter dEle aquilo que a Ele pertence. Perdemos o que Deus já nos havia dado e o que ainda tencionava dar-nos. Mas agora o sangue do Senhor Jesus nos purifica dos nossos pecados e restaura nosso relacionamento com Deus. Efésios 2:13. Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.

A obra que o sangue realizou é muitíssimo maravilhosa, porque ela nos dá o próprio Deus. Graças a Deus que tudo isso veio a nós por Sua graça, mas Deus-Pai também quis expressar esta graça numa aliança. Amados, isto é bastante profundo quando entendemos espiritualmente que o sangue de Cristo tornou-se o justo fundamento pelo qual a aliança de Deus conosco nunca pode falhar. A aliança que o nosso Deus fez conosco em Cristo é imutável. Portanto, precisamos entender que a partir do Calvário, todo o nosso pedir nas Escrituras deveria ser mudado para receber. Eu sei que às vezes, parece que Deus se esqueceu de sua aliança. Em tais circunstancias, podemos lembrá-lo dela. Desperta-me a memória. Isaías 43:26a. Lembra-te das palavras que prometestes e cumpra em mim segunda a sua aliança. Hebreus 13:20-21a. Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança, vos aperfeiçoe em todo o bem.

Deus reservou todas as coisas na Nova Aliança do mesmo modo que uma pessoa deposita seu dinheiro num banco. Se a pessoa crê, ela pode sacá-lo sempre. Mas, não nos esqueçamos de que para podermos desfrutar da Sua riqueza precisamos da operação da cruz em nós. O que é a cruz? Ela é isto: quando nosso coração é tocado por Deus, nos entreguemos nas mãos dEle a fim de que a Sua vida possa operar em nós. E quando ela opera, há um elemento que nos leva à morte, retirando tudo quanto é indesejado, ou seja, a rebelião contra Deus, tudo o que é contrário à vida, e ao Espírito Santo. Entretanto, há também um elemento vivo, que nos faz viver, cujo efeito capacita-nos a usufruir todas as riquezas da Divindade, enchendo-nos de luz, de alegria e de paz. Pois tudo isso está em uma Pessoa: Cristo. Colossenses 1:27 e Efésios 3:17. Aos quais Deus quis dar a conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória. E, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor.

Cristo em nós é a mesma coisa que Deus em nós. Quanta benção há em que o Criador habite na criatura! Esta é a coisa mais maravilhosa, bem-aventurada e gloriosa de todo o Universo. Por este motivo, a vida cristã é vivida apegando-nos à Palavra de Deus, crendo que Ele é fiel e justo. O que Deus disser, assim será. Se permanecermos inteiramente na aliança que o Senhor Jesus firmou, Deus cuidará de nós. Ele executará tudo o que está na aliança, pois Ele já aceitou o sangue do Senhor Jesus. Visto que Deus anexou sua vontade à aliança, Ele só pode mover-se dentro dela. Se Deus não tivesse feito aliança conosco, Ele estaria livre para tratar-nos conforme lhe aprouvesse; uma vez, porém que estabeleceu aliança conosco, Deus deve proceder segundo as palavras da aliança, porque Deus não pode ser injusto. Agora o motivo de não sabermos como lidar com Deus segundo as palavras da aliança reside em nossa falta de entendimento no tocante à soma de bênçãos que o sangue conquistou para nós. Irmãos, nunca podemos nos esquecer que o sangue é o fundamento desta Nova Aliança. Por isso, quando pedimos de acordo com a aliança, não estamos pedindo coisas que não nos pertencem; pelo contrário, estamos tomando posse daquilo que já é nosso em Cristo Jesus. Leiamos juntos em 1 Pedro 1:3-4. Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros.

Muito mais que isso, também podemos agora deleitar-se da presença de Deus em nós. Por causa deste novo Concerto que Deus fez conosco e o cumpriu em Cristo, Ele mesmo vem habitar em nós pelo seu Espírito. Nós precisamos experimentar uma operação diária da cruz, porque à medida que sai o subtraído, entra o adicionado. A vida de Deus operará e revigorará até que, de pouco em pouco, algo é removido e algo é deixado. Em outras palavras, significa que tudo aquilo que venhamos a perder na morte, será substituído pela Sua vida. Quanto mais sai de nós, mais entra a vida de Cristo. É exatamente isto que significa levar a cruz a cada dia. Pois sabemos pela Palavra de Deus que a vida de Cristo só irá se manifestar em um morto. Levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. 2 Coríntios 4:10.

Falando sobre este assunto Watchman Nee disse que: "Somente um Paulo morto poderia pregar uma palavra sobre crucificação. Se não houvesse morrido de modo real, a vida da morte do Senhor não poderia ter fluído dele. É fácil pregar a cruz, mas não é fácil pregá-la como um homem crucificado. A não ser que alguém seja uma pessoa crucificada, ele não pode pregar a palavra da cruz e não pode dar a outros a vida da cruz. Rigorosamente falando, a não ser que alguém conheça a cruz, na experiência, ele não é digno de pregar a cruz". A mensagem de Paulo era a crucificação. Ele próprio era um homem crucificado e pregou a cruz à maneira da cruz. Era um homem da cruz, pregando a mensagem da cruz com o espírito da cruz. Muitas vezes o que pregamos é a cruz, mas a nossa atitude, as nossas palavras e nosso sentimento não dão a impressão de que pregamos a cruz! Muitas pregações sobre a cruz não são feitas no espírito da cruz. Vejamos o que Paulo disse em 1 Coríntios 2:1-2: Eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado.

Quando o Senhor Jesus morreu naquela cruz e seu precioso sangue foi derramado, a aliança começa a vigorar. Havendo trazido seu sangue para o Santo dos Santos, o Senhor Jesus declara a Deus que o testador morreu. Nós, os vivos, também sabemos que o testador morreu. Morto o testador, o testamento entra em vigor. Cabe ao testamenteiro a responsabilidade de fazer cumprir o testamento. Cada item do testamento é nosso. Se o testamenteiro for fiel, possuiremos todos eles. Se for infiel, seremos privados de tudo o que nos cabe. Uma vez que nosso Senhor é o testamenteiro, não há dúvida de que teremos tudo quanto está no testamento. 1 Coríntios 3:21. Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso. Esse tudo está na própria Pessoa de Cristo e é o próprio Cristo. Porém Cristo é tudo em todos. Colossenses 3:11b.

Com a Nova Aliança em vigor podemos conhecer a Deus como nunca conhecemos antes. Agora na nova aliança Deus se revela ao homem através de seu Filho Jesus de uma maneira que todos poderão conhecê-lo de uma forma bastante real. Vamos ler Jeremias 31:34. Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniqüidades e dos seus pecados jamais me lembrarei.

Isto significa um conhecimento mais profundo de Deus, um conhecimento do próprio Deus. Mediante o Espírito Santo, Deus trará seu povo redimido ao pico espiritual do conhecimento de seu proprio Ser. Imprimir suas leis em nossa mente e inscrevê-las sobre o nosso coração não é outra coisa que o procedimento utilizado por Deus para chegar ao grande alvo, o de conhecermos o seu próprio Ser. É verdade que ter comunhão com Deus é um fim em si mesmo, mas ao mesmo tempo a comunhão também é um meio de Deus atingir um fim mais importante, que é o pleno conhecimento de Deus, para que fiquemos cheios de Sua plenitude. E conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus. Efésios 3:19. Tudo isso a Nova Alinaça nos proprociona. Amém

Pr Claudio Morandi.
A Deus toda a Honra e Glória.

Nenhum comentário: